GIC e CPPIB não participaram da privatização da Eletrobras, dizem fontes

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


SÃO PAULO (Reuters) – O investidor estatal de Cingapura GIC Pte e o canadense CPPIB não compraram ações da oferta de privatização da Eletrobras porque exigiam preços abaixo do que o governo brasileiro estava disposto a aceitar, disseram duas fontes com conhecimento do assunto nesta sexta-feira.

O CPPIB e o GIC tinham pedidos de 4 bilhões de reais cada, mas estavam condicionados ao preço da oferta abaixo dos 42 reais exigidos pelo governo, acrescentaram as fontes, pedindo anonimato para divulgar discussões privadas.

O site financeiro Brazil Journal noticiou o movimento dos fundos mais cedo.

O CPPIB se recusou a comentar, enquanto o GIC não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters.

Esperava-se que ambos se tornassem acionistas relevantes da Eletrobras, ao lado da 3G Radar, que era o maior acionista privado da empresa antes da oferta e participou da privatização.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

(Reportagem de Tatiana Bautzer e Gabriel Araujo)

Compartilhe esta publicação: