Ibovespa vacila apesar de exterior favorável

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa reduzia o fôlego e recuava no final da manhã desta segunda-feira, descolado do clima mais positivo no exterior, sem trégua na volatilidade, em sessão com noticiário chinês no radar.

Às 11:42, o Ibovespa caía 0,34%, a 110.726,69 pontos. O volume financeiro somava 4,6 bilhões de reais. Mais cedo, na máxima, o Ibovespa chegou a subir 0,75%, a 111.934,78 pontos, favorecido pelo cenário externo.

“A China voltou a flexibilizar as medidas de distanciamento em Pequim, o que gera maior otimismo entre investidores e permite uma maior tomada de risco”, afirmou a equipe da Guide Investimentos em nota a clientes.

“Além disso, o PMI do setor de serviços chinês também foi divulgado, registrando alta de mais de 5 pontos, ainda que se mantenha em patamar contracionista”, acrescentou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, o S&P 500 tinha acréscimo de 1,3%, também buscando na China apoio para uma melhora após perdas no encerramento da semana passada, quando pesaram receios sobre o comportamentos da política monetária nos EUA.

“Investidores têm enfrentado temores de que o Fed (Federal Reserve) possa aumentar as taxas de juros muito rápido e demais, causando uma recessão’, disse a XP Investimentos em comentários a clientes mais cedo.

No Brasil, que também vive um ciclo de alta de juros, a pauta do dia trouxe a abertura de 196.966 vagas formais de trabalho em abril, acima da expectativa e que representa aceleração em relação ao mês anterior.

DESTAQUES

– TOTVS ON subia 1%. O BTG Pactual incluiu a ação em sua carteira recomendada para junho, destacando que as principais operações da empresa estão crescendo de forma saudável e lucrativa, enquanto os segmentos de performance de negócio e techfin também estão apresentando bom desempenho.

– ELETROBRAS ON subia 0,1% e ELETROBRAS PNB cedia 0,2%, com agentes financeiros monitorando os processos relacionados à privatização da elétrica, incluindo a derrubada de liminar que suspende a realização de uma assembleia de debenturistas de Furnas.

– VALE ON tinha alta de 0,7%, conforme os futuros de minério de ferro na bolsa de Dalian alcançaram o maior valor em 10 meses, com a redução dos estoques nos portos chineses alimentando um rali estimulado pelo otimismo em torno da demanda no maior produtor de aço do mundo.

– ITAÚ UNIBANCO PN avançava 0,4%, enquanto BRADESCO PN rondava a estabilidade, em sessão sem direção única para bancos. Analistas do Itaú BBA reiteraram recomendação “outperform” para o Bradesco BBDC4.SA, mas cortaram o preço-alvo da ação no final de 2022.

– PETROBRAS PN e PETROBRAS PN caíam 0,3% cada, tendo de pano de fundo declínio do petróleo no exterior e manutenção das discussões acerca dos preços de combustíveis no país, além do primeiro passo de um processo mirando a privatização da companhia.

– ALPARGATAS PN recuava 4%, dando continuidade ao ajuste em junho após acumular uma ganho de quase 11% em maio.

– CSN ON caía 3,8%, em sessão mista para siderúrgicas, com GERDAU PN subindo 0,3% e USIMINAS PNA em baixa de 2,5%. No radar, estão dúvidas sobre novos reajustes nos preços de aço em um ambiente menos aquecido para o consumo da liga no país.

Compartilhe esta publicação: