Importação de minério de ferro pela China sobe 3% em maio com melhora do fornecimento

Nos primeiros cinco meses de 2022, a China importou 447 milhões de toneladas de minério de ferro

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Sheng Li/Reuters
Sheng Li/Reuters

Minério no porto de Yingkou

Acessibilidade


As importações de minério de ferro pela China subiram 3% em maio em relação ao mesmo mês do ano anterior, mostraram dados alfandegários hoje (9), depois que as interrupções nos embarques dos principais fornecedores diminuíram.

O maior consumidor de minério de ferro do mundo trouxe 92,52 milhões de toneladas no mês passado, ante 89,79 milhões de toneladas em maio de 2021, disse a Administração Geral de Alfândegas.

As importações do ingrediente siderúrgico caíram nos últimos meses, já que as mineradoras na Austrália foram atingidas pela escassez de mão de obra induzida pela pandemia, enquanto a brasileira Vale lutava com condições climáticas.

Além disso, a guerra suspendeu as exportações da Ucrânia e Rússia, fornecedores menores.

Mas as interrupções diminuíram no mês passado, e o apetite por importações estava forte, apesar do fraco consumo do setor siderúrgico da China, disseram analistas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“As taxas de operação das mineradoras de minério de ferro australianas e brasileiras melhoraram significativamente desde as baixas de fevereiro, então não é surpreendente ver as importações dispararem em maio”, disse Atilla Widnell, diretor administrativo da Navigate Commodities, com sede em Cingapura.

Nos primeiros cinco meses de 2022, a China importou 447 milhões de toneladas de minério de ferro, queda de 5,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados também mostraram que as exportações de produtos siderúrgicos pela China ficaram em 7,76 milhões de toneladas em maio, o maior nível desde abril de 2021.

Alguns comerciantes chineses aumentaram as exportações para a Europa para preencher um déficit causado pela guerra na Ucrânia.

Compartilhe esta publicação: