Pedidos de seguro-desemprego nos EUA têm queda semanal

Pedidos iniciais de seguro-desemprego caíram 11 mil, para 200 mil

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Fila para feira de emprego em Uniondale, Nova York
REUTERS/Shannon Stapleton/File Photo

Fila para feira de emprego em Uniondale, Nova York

Acessibilidade


O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu inesperadamente na semana passada, uma vez que a demanda por mão de obra permaneceu forte, ajudando a sustentar a economia em meio ao aumento das taxas de juros e ao aperto das condições financeiras.

Os pedidos iniciais de seguro-desemprego caíram 11 mil, para 200 mil (dado com ajuste sazonal), na semana encerrada em 28 de maio, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Economistas consultados pela Reuters previam 210 mil novas solicitações na última semana.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As reivindicações estão em grande parte em patamar estável desde que atingiram uma mínima em mais de 53 anos de 166 mil em março. A demanda por mão de obra continua forte, embora alguns sinais de arrefecimento estejam surgindo.

Espera-se que o relatório de emprego fora do setor agrícola a ser divulgado na sexta-feira mostre que o forte crescimento do emprego persistiu em maio, apesar do aumento das taxas de juros e do aperto nas condições financeiras.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De acordo com uma pesquisa da Reuters com economistas, o país deve ter criado, fora do setor agrícola, 325 mil empregos no mês passado (em termos líquidos). A economia gerou 428 mil postos em abril, marcando 12 meses consecutivos de abertura superior a 400 mil.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: