Preços do petróleo fecham em alta com sinalização de produtores sobre limite de capacidade

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Laura Sanicola

(Reuters) – Os preços do petróleo fecharam em alta pelo terceiro dia consecutivo nesta terça-feira, uma vez que os principais produtores Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos não devem conseguir aumentar significativamente a produção, enquanto os governos ocidentais concordaram em explorar maneiras de limitar o preço do petróleo russo.

O petróleo Brent subiu 2,89 dólares, ou 2,5%, para fechar a 117,98 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) fechou em alta de 2,19 dólares, ou 2%, para 111,76 dólares o barril.

Ambos os contratos estenderam os ganhos da sessão anterior de quase 2% depois que as potências econômicas do G7 prometeram aumentar a pressão ocidental existente sobre a Rússia de sanções por sua invasão da Ucrânia.

Os líderes do G7 concordaram em explorar a imposição de uma proibição ao transporte de petróleo russo que foi vendido acima de um determinado preço, com o objetivo de esgotar o baú de guerra de Moscou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A receita de exportação de petróleo da Rússia aumentou em maio, mesmo com a queda dos volumes, disse a Agência Internacional de Energia em seu relatório de junho.

As proibições ocidentais sobre a Rússia e sua produção de petróleo e gás levaram a um forte aumento nos preços globais de energia, e outros grandes produtores ainda precisam implementar um aumento significativo nos suprimentos.

A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos são vistos como os dois únicos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo com capacidade ociosa para compensar a perda de suprimento russo e a fraca produção de outros países membros.

(Reportagem adicional de Ron Bousso e Ahmad Ghaddar em Londres, Sonali Paul em Melbourne e Muyu Xu em Cingapura)

Compartilhe esta publicação: