Preços do petróleo sobem com decisão da UE de proibir importação do produto russo

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por David Gaffen

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira depois que os líderes da União Europeia concordaram com uma proibição gradual do petróleo russo e à medida que a China encerra o lockdown de Covid-19 em Xangai, o que pode aumentar a demanda em um mercado já apertado.

Os benchmarks do petróleo subiram constantemente por várias semanas, com os embarques russos pressionados pelas sanções da UE e dos EUA, e devido ao fato de que a Índia e a China só podem comprar uma certa quantidade da Rússia, o maior exportador mundial de petróleo e combustível.

O Brent fechou a 116,29 dólares o barril, um ganho de 0,69 dólar, ou 0,6%, enquanto o petróleo dos EUA avançou 0,59 dólar, ou 0,5%, para 115,26 dólares.

Os líderes da UE concordaram na segunda-feira em cortar 90% das importações de petróleo da Rússia até o final deste ano, as sanções mais duras do bloco desde o início da invasão da Ucrânia, que Moscou chama de “operação militar especial”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Duas fontes da Opep+ disseram nesta quarta-feira que os membros não discutiram a ideia de suspender a Rússia do atual acordo de fornecimento de petróleo, depois que o Wall Street Journal informou na terça-feira que tal medida estava sendo considerada.

(Reportagem adicional de Ahmad Ghaddar em Londres)

Compartilhe esta publicação: