Salários de executivos: veja quanto ganharam os mais bem pagos do Brasil

Dados da CVM mostram as maiores remunerações das principais empresas que compõem o índice Ibovespa; Santander, Vale e Itaú lideram

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:
Boonchai Wedmakawand/Getty Images
Getty Images/boonchai wedmakawand

Santander lidera o ranking; banco pagou R$ 59 milhões ao seu executivo mais bem remunerado ao longo de 2021

Acessibilidade


Santander (SANB11), Vale (VALE3) e Itaú (ITUB4) são as três empresas que pagaram as maiores remunerações a seus executivos em 2021, de acordo com os dados fornecidos pelas empresas nos formulários de referência, depositados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e compilados pelo especialista em governança corporativa Renato Chaves.

Em 2009, o órgão passou a exigir que as companhias informassem a remuneração total anual da diretoria, declarando o valor mais baixo e o mais alto – que normalmente é pago ao CEO ou presidente, mas pode haver exceções.

A regra foi contestada na Justiça pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Rio de Janeiro (Ibef-RJ), que conseguiu uma liminar que permitiu a um grupo de empresas não fornecer as informações. A disputa judicial se arrastou por mais de uma década até que a CVM obteve uma decisão, em 2019, que determinou que as companhias observassem a regra.

No caso do Santander, que ficou no 1º lugar do ranking, o valor mais alto foi de R$ 59 milhões, um crescimento de 26% em comparação a 2020. Já a Vale desembolsou R$ 55,1 milhões a seu executivo mais bem pago ao longo de 2021, enquanto o Itaú pagou R$ 52,9 milhões.

A Eneva (ENEV3), que ocupa a quarta posição entre as 20 empresas com as maiores remunerações, registrou o maior crescimento na comparação com 2020: 195%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A maior queda na remuneração, por sua vez, ficou para a B3 (B3SA3), 16ª colocada da lista, com recuo de 52% no mesmo período.

Na avaliação total, que inclui as 88 companhias da carteira teórica do Ibovespa, as remunerações cresceram 31,4% em 2021 em relação ao ano anterior.

Confira o ranking completo:

1. Santander (SANB11)

Maior remuneração anual: R$ 59 milhões
Comparação com 2020: +26%
Setor: Financeiro
CEO: Sergio Rial
Desempenho das ações em 2021: 34,4%

2.Vale (VALE3)

Maior remuneração anual: R$ 55,1 milhões
Comparação com 2020: +75%
Setor: Mineração
CEO: Eduardo Bartolomeo
Desempenho das ações em 2021: -9,1%

3. Itaú Unibanco (ITUB4)

Maior remuneração anual: R$ 52,9 milhões
Comparação com 2020: +52%
Setor: Financeiro
CEO: Milton Maluhy Filho
Desempenho das ações em 2021: -18,8%

4. Eneva (ENEV3)

Maior remuneração anual: R$ 52,7 milhões
Comparação com 2020: +195%
Setor: Energia
CEO: Pedro Zinner
Desempenho das ações em 2021: -12,5%

5. JBS (JBSS3)

Maior remuneração anual: R$ 52,6 milhões
Comparação com 2020: +56%
Setor: Frigoríficos
CEO: Gilberto Tomazoni
Desempenho das ações em 2021: +71,9%

6. Localiza (RENT3)

Maior remuneração anual: R$ 29,7 milhões
Comparação com 2020: +52%
Setor: Aluguel de veículos
CEO: Bruno Lasansky
Desempenho das ações em 2021: -25,1%

7. Bradesco (BBDC4)

Maior remuneração anual: R$ 29,3 milhões
Comparação com 2020: +23%
Setor: Financeiro
CEO: Octavio de Lazari Júnior
Desempenho das ações em 2021: -20,9%

8. Cosan (CSNA3)

Maior remuneração anual: R$ 27,6 milhões
Comparação com 2020: +145%
Setor: Petróleo e Gás
CEO: Luis Henrique Guimarães
Desempenho das ações em 2021: +8,23%

9. Rede D’Or (RDOR3)

Maior remuneração anual: R$ 27,2 milhões
Comparação com 2020: +44%
Setor: Saúde
CEO: Paulo Moll
Desempenho das ações em 2021: -27%

10. Braskem (BRKM5)

Maior remuneração anual: R$ 24 milhões
Comparação com 2020: +65%
Setor: Petroquímico
CEO: Roberto Simões
Desempenho das ações em 2021: alta de 144,5%

11. Ambev (ABEV3)

Maior remuneração anual: R$ 23,7 milhões
Comparação com 2020: +43%
Setor: Bebidas
CEO: Jean Jereissati
Desempenho das ações em 2021: queda de 1,5%

12. Suzano (SUBZ3)

Maior remuneração anual: R$ 22,6 milhões
Comparação com 2020: +2%
Setor: Papel e celulose
CEO: Walter Schalka
Desempenho das ações em 2021: alta de 2,7%

13. Via (VIIA3)

Maior remuneração anual: R$ 21,4 milhões
Comparação com 2020: -7%
Setor: Varejo
CEO: Roberto Fulcherberguer
Desempenho das ações em 2021: queda de 67,5%

14. Cogna (COGN3)

Maior remuneração anual: R$ 21,2 milhões
Comparação com 2020: -35%
Setor: Educação
CEO: Rodrigo Galindo (2021)
Desempenho das ações em 2021: queda de 46,9%

15. Assaí (ASAI3)

Maior remuneração anual: R$ 20,8 milhões
Comparação com 2020: +39%
Setor: Varejo
CEO: Belmiro Gomes
Desempenho das ações em 2021: queda de 8,9%

16. B3 (B3SA3)

Maior remuneração anual: R$ 20,8 milhões
Comparação com 2020: -52%
Setor: Financeiro
CEO: Gilson Finkelsztain
Desempenho das ações em 2021: queda de 44,5%

17. Qualicorp (QUAL3)

Maior remuneração anual: R$ 19,9 milhões
Comparação com 2020: -6%
Setor: Saúde
CEO: Bruno Blatt
Desempenho das ações em 2021: queda de 51,5%

18. Marfrig (MRFG3)

Maior remuneração anual: R$ 19,5 milhões
Comparação com 2020: -15%
Setor: Alimentos
CEO: Miguel Gularte
Desempenho das ações em 2021: alta de 52,1%

19. CVC (CVCB3)

Maior remuneração anual: R$ 17,9 milhões
Comparação com 2020: +3%
Setor: Turismo
CEO: Leonel Dias de Andrade Neto
Desempenho das ações em 2021: queda de 32,2%

20. Rumo (RAIL3)

Maior remuneração anual: R$ 17,4 milhões
Comparação com 2020: +150%
Setor: Indústria
CEO: João Alberto Abreu
Desempenho das ações em 2021: queda de 7,7%

Compartilhe esta publicação: