Vendas de moradias usadas nos EUA caem para mínima de 2 anos em maio

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


WASHINGTON, 21 de junho (Reuters) – As vendas de moradias usadas nos Estados Unidos caíram para uma mínima de dois anos em maio, uma vez que os preços subiram para um recorde – ultrapassando a marca de 400.000 dólares pela primeira vez – e à medida que as taxas de juros de hipotecas aumentaram ainda mais, afastando os compradores de primeira viagem do mercado.

As vendas de moradias existentes caíram 3,4% para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 5,41 milhões de unidades no mês passado, o nível mais baixo desde junho de 2020, quando as vendas estavam se recuperando da queda em meio a lockdown contra a Covid-19, disse a Associação Nacional de Corretores de Imóveis nesta terça-feira. Foi a quarta queda mensal consecutiva nas vendas.

Economistas consultados pela Reuters projetavam queda nas vendas para uma taxa de 5,40 milhões de unidades.

As revendas de casas, que representam a maior parte das vendas nos EUA, recuaram 8,6% em relação ao ano anterior.

As vendas de maio foram em sua maioria fechamentos de contratos assinados um a dois meses atrás, antes de as taxas hipotecárias começarem a se acelerar em meio a um aumento nas expectativas de inflação e altas agressivas dos juros pelo Federal Reserve.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A hipoteca com taxa fixa de 30 anos saltou 55 pontos base na semana passada, para uma máxima de 13 anos e meio de 5,78% em média, de acordo com dados da agência de financiamento hipotecário Freddie Mac. Esse foi o maior aumento em uma semana desde 1987. A taxa subiu mais de 250 pontos de base desde janeiro.

O mercado imobiliário, o setor mais sensível às taxas de juros, está perdendo velocidade. Mas isto pode ajudar a alinhar a oferta e a demanda habitacional e baixar os preços.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Compartilhe esta publicação: