Wall St reage a persistência de temores de recessão

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Anisha Sircar e Devik Jain

(Reuters) – Os principais índices de Wall Street mostravam instabilidade nesta sexta-feira, um dia depois de uma liquidação brutal, provocada por temores de recessão na esteira de uma série de aumentos de juros pelo Federal Reserve e outros grandes bancos centrais.

A inflação teimosamente alta tem assustado os investidores neste ano, à medida que eles se adaptam ao fim da era do dinheiro barato, levantando preocupações sobre o impacto das pressões de preços nos lucros das empresas e no crescimento econômico.

Todos os três principais índices de Wall Street estavam a caminho de registrar a terceira perda semanal consecutiva, com o S&P 500 prestes a marcar seu pior resultado semanal desde janeiro.

Na quarta-feira, o Fed elevou sua taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual, o ajuste mais intenso em quase três décadas, enquanto o Banco da Inglaterra e o Banco Nacional Suíço também aumentaram os custos dos empréstimos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Os mercados não vão se estabilizar até que haja uma sensação de que as medidas do Fed e de outros bancos centrais serão bem-sucedidas não apenas em conter a inflação, mas em tentar evitar uma recessão global”, disse Kenny Polcari, sócio-gerente da Kace Capital Advisors.

“Não acho que seja uma repetição de 2007. Mas, com base em todo o estímulo que cada banco central do mundo forneceu e agora que estão começando a tirar os doces do pote, os investidores vão reagir violentamente.”

Às 12:13 (de Brasília), o índice S&P 500 perdia 0,51%, a 3.648,06 pontos, enquanto o Dow Jones caía 0,22%, a 29.862,04 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançava 0,29%, a 10.677,20 pontos.

Compartilhe esta publicação: