Binance perde mercado no Brasil após problemas com Capitual

Saques e depósitos estão suspensos para clientes brasileiros há duas semanas.

Monique Lima
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

Corretora de criptomoedas perdeu 8 p.p. de market share em duas semanas, por problemas nas operações de saques e depósitos.

Acessibilidade


No último mês, a corretora de criptomoedas Binance sofreu uma perda dupla: perdeu a parceria que tinha com o banco Capitual para os pagamentos no Brasil e, como consequência, perdeu espaço nas negociações de bitcoin frente à concorrência.

A Binance continua sendo a exchange com maior volume negociado, de acordo com dados do setor compilados pelo Mercado Bitcoin. Em junho, a empresa foi responsável por 60,10% do volume de bitcoins negociados pelas principais corretoras que atuam no Brasil. Porém, trata-se de um recuo de mais de oito pontos percentuais de market share em um mês – em maio, a posição da empresa era de 68,07%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A maior parte do market share perdido pela Binance escoou para outra exchange, a NovaDAX. Em maio, a corretora registrava 6,49% de posição no mercado. Um mês depois, essa posição aumentou para 14,50% enquanto outras exchanges mantiveram níveis similares de market share.

Na sequência vem bitPreço (de 8,19% para 8,10%), Mercado Bitcoin (de 7,21% para 7,09%), FoxBit (de 6,20% para 5,20%) e outras (de 3,85% para 4,20%).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Caso Binance e Capitual

Desde o dia 17 de junho, investidores com conta na Binance estão impedidos de fazer saques e depósitos em reais. A exchange interrompeu as operações após o encerramento da parceria que tinha com a brasileira Capitual.

Segundo reportagem do Valor Econômico sobre a disputa judicial entre as empresas, a Capitual alega que a Binance se negou a cumprir exigências do Banco Central, que passou a exigir contas individualizadas dos clientes para garantir maior segurança às operações.

À essa declaração, a Binance respondeu ao jornal que nem ela, nem a Capitual e “tão pouco os seus clientes” são regulados pelo Banco Central do Brasil. A exchange ainda afirmou ao Valor que não existe “determinação para a abertura de contas individualizadas”.

A corretora busca, na Justiça, o encerramento do contrato com a Capitual e a restituição dos valores pagos à empresa brasileira.

Hoje, uma decisão liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 451,6 milhões que estão nas contas da Capitual e pertencem aos clientes da Binance. Os valores foram gerados em operações de compra e venda de criptomoedas, e o montante ficará parado até que o juiz do caso decida como os valores serão devolvidos a cada cliente.

A Binance anunciou três alternativas para saques e depósitos em sua plataforma enquanto a situação está sem conclusão e orientou os clientes que enfrentam dificuldades a procurar seu atendimento. A exchange também fechou uma nova parceria com uma empresa local, a Latam Gateway, para restabelecer os serviços.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: