Confiança do consumidor no Brasil sobe em julho, mas perde ritmo, mostra FGV

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da FGV teve no mês avanço de 0,50 ponto

Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

Consumidores fazem compras em rua comercial de São Paulo

Acessibilidade


A confiança dos consumidores brasileiros voltou a subir em julho, porém a um ritmo bem mais fraco do que no mês anterior, uma vez que permanece a incerteza em relação à situação financeira das famílias de menor poder aquisitivo, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas divulgados nesta segunda-feira.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da FGV teve no mês avanço de 0,50 ponto, chegando a 79,5 pontos, depois de ter saltado 3,5 pontos em junho, o que segundo a FGV indica acomodação do índice.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Aparentemente, o efeito dos estímulos realizados pelo governo perde força e não consegue reverter a percepção ruim da situação financeira das famílias de menor poder aquisitivo”, explicou em nota a coordenadora das sondagens, Viviane Seda Bittencourt.

Ela destacou, no entanto, melhora das perspectivas para os próximos meses sobre economia e emprego.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Esse movimento, contudo, é exatamente oposto para os consumidores de maior poder aquisitivo… A proximidade das eleições pode tornar as expectativas mais voláteis, considerando que não há uma perspectiva de mudança dos fatores econômicos nos próximos meses”, completou.

O Índice de Situação Atual (ISA) teve recuo de 0,1 ponto e ficou em 70,3, enquanto o Índice de Expectativas (IE) subiu 0,7 ponto e alcançou 86,6 pontos, maior nível desde agosto de 2011.

Compartilhe esta publicação: