Crescimento no Brasil foi em grande parte transitório, diz diretor do BC

Diogo Guillen participou em evento do Credit Suisse sobre desafios da política monetária

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Homem caminha em frente à sede do Banco Central, em Brasília
REUTERS/Adriano Machado

Homem caminha em frente à sede do Banco Central, em Brasília.

Acessibilidade


O recente crescimento econômico acima do esperado no Brasil foi, em grande parte, transitório, disse hoje (11) o diretor de Política Econômica do Banco Central, Diogo Guillen, citando componentes conjunturais que impulsionaram os resultados.

Em evento do Credit Suisse sobre desafios da política monetária, Guillen afirmou que a atividade no primeiro semestre foi resultado de medidas fiscais transitórias, como antecipação de 13º a aposentados e pagamento de abono salarial, normalização dos setores no pós-pandemia e redução da poupança que havia sido acumulada pelas famílias ao longo da crise sanitária.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Sobre atividade econômica, (houve) um crescimento acima do esperado, em grande parte transitório”, disse.

No evento, Guillen também afirmou que a estratégia apresentada pelo BC para levar a inflação para em torno da meta passa por uma Selic terminal mais alta que a expectativa de mercado e um tempo mais prolongado de política monetária significativamente contracionista.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: