Gastos do consumidor nos EUA superam expectativas em junho; inflação acelera

O índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) saltou 1,0% no mês passado

Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Rachel Wisniewski
REUTERS/Rachel Wisniewski

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, subiram 1,1% no mês passado

Acessibilidade


Os gastos do consumidor nos Estados Unidos aumentaram mais do que o esperado em junho, quando os norte-americanos pagaram mais por bens e serviços, com a inflação mensal registrando o maior salto desde 2005.

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, subiram 1,1% no mês passado, informou o Departamento de Comércio hoje (29). Os dados de maio foram revisados para cima para mostrar que os gastos cresceram 0,3%, em vez de 0,2% relatado anteriormente.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Economistas consultados pela Reuters previam que os gastos do consumidor subiriam 0,9%.

A inflação, por sua vez, esquentou em junho. O índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) saltou 1,0% no mês passado. Esse foi o maior salto desde setembro de 2005 e se seguiu a ganho de 0,6% em maio. Nos 12 meses até junho, o PCE avançou 6,8%, maior alta nessa base de comparação desde janeiro de 1982. O índice PCE havia subido 6,3% em maio sobre um ano antes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, o índice PCE subiu 0,6% em junho, após alta de 0,3% em maio. O núcleo do PCE aumentou 4,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, após alta de 4,7% em maio.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: