Gigantes e micro investidores mantêm o bitcoin à tona

HODLers tem evitado quedas da criptomoeda

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

HODLers tem evitado maiores quedas do bitcoin

Acessibilidade


Investidores gigantes e muito pequenos se juntaram num movimento que tem evitado quedas ainda mais acentuadas do bitcoin.

Esses dois grupos são HODLers – investidores como visão de longo prazo que se recusam a vender suas participações, apesar de seus portfólios estarem no vermelho.

Os chamados camarões, investidores que detêm menos de 1 bitcoin cada, estão somando em conjunto cerca de 60.460 bitcoins por mês, a taxa mais agressiva da história, de acordo com uma análise da empresa de dados Glassnode.

Leia mais: Quase metade dos brasileiros já utilizaram criptomoedas, diz pesquisa

As baleias, investidores com mais de mil bitcoins cada, estavam adicionando 140 mil moedas por mês, a taxa mais alta desde janeiro de 2021.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O mercado está se aproximando de um cenário liderado por HODLers”, disse a Glassnode, referindo-se ao grupo cujo nome surgiu anos atrás, quando um trader errou a ortografia hold.

Após o pior mês do bitcoin em 11 anos em junho, o declínio parece ter diminuído à medida que a demanda por transações parece estar se estabilizando, indicando uma provável retenção de uma base de usuários, ou seja, HODLers.

O bitcoin tem oscilado entre US$ 19 mil e US$ 21 mil nas últimas quatro semanas, menos de um terço de seu pico de US$ 69 mil em 2021.

Cerca de 55% dos investidores de varejo de criptomoedas baseados nos Estados Unidos mantiveram seus investimentos em resposta à recente liquidação, enquanto cerca de 16% dos investidores globalmente aumentaram sua exposição em junho, de acordo com uma pesquisa com investidores de varejo da eToro.

“Criptomoedas são uma classe de ativos desproporcionalmente detidas por investidores mais jovens que são mais tolerantes ao risco, pois têm, digamos, mais 30 anos para recuperar tudo”, disse Ben Laidler, estrategista de mercados globais da eToro.

Dores dos mineradores de bitcoin

Outra classe de HODLers – os mineradores de bitcoin – está cada vez mais sob pressão, pois enfrentam o duplo golpe de preços e altos custos de eletricidade. O custo de mineração de um bitcoin é maior do que o preço dos ativos digitais para alguns mineradores, disse o analista do Citi Joseph Ayoub.

A Core Scientific vendeu 7.202 bitcoins no mês passado para pagar pelas plataformas de mineração e operações de fundos, reduzindo suas participações totais para 1.959 bitcoins.

Já a Marathon Digital disse que não vende bitcoin desde outubro de 2020. A empresa disse que pode vender uma parte de sua produção mensal para cobrir os custos.

O ETF de mineradores de bitcoin Valkyrie caiu 65% no último trimestre, superando a queda de 56% do bitcoin.

As lições do inverno das criptomoedas em 2018 foram que os mineradores que sobreviveram continuaram produzindo mesmo em um cenário desafiador. É improvável que essa abordagem funcione desta vez, disse Chris Bae, presidente do Enhanced Digital, que projeta estratégias de hedge para mineradores de criptomoedas.

Compartilhe esta publicação: