Ibovespa abre no azul com rali entre alta da Petrobras e queda da Vale

Bolsa brasileira repercute divulgação do balanço das blue chips, com bons números da petroleira e queda no lucro da mineradora

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa abriu em alta hoje (29), com subida de 0,31%, aos 102.916 pontos e se encaminha para sua melhor semana desde janeiro. A Bolsa brasileira já acumula alta de 3,71% na semana e, com os futuros americanos apontando mais um dia de alta, pode alcançar ganhos semanais superiores a 4% – vistos pela última vez em janeiro.

Dividendos de Petrobras (PETR3 e PETR4) e Vale (VALE3) impulsionam os ânimos dos investidores, além da temporada de balanços do segundo trimestre que mostra números resilientes das empresas.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Ontem (28), a Petrobras reportou um lucro líquido de R$ 54,33 bilhões no segundo trimestre, valor 26,8% superior ao do mesmo período do ano passado. O lucro recorrente somou R$ 45,04 bilhões, avanço de 10,1% na base anual.

Já o lucro operacional, medido pelo Ebitda ajustado, foi de R$ 98,26 bilhões entre abril e junho, avanço de 58,6% frente ao 2T21. A estatal também registrou um recuo de 14,1% na dívida líquida em relação ao primeiro trimestre, e de 35,3% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Após os números, o Citi reiterou recomendação de compra para os recibos de ações da Petrobras listados na NYSE e destacou os “bons resultados no 2º TRI, principalmente pela valorização do petróleo Brent e maior volume de vendas no mercado interno”.

Já a Vale não foi tão bem sucedida em seus números. O lucro líquido da mineradora recuou 25,1% no segundo trimestre deste ano quando comparado com o mesmo período do ano passado, para R$ 30,03 bilhões.

O Ebitda ajustado entre abril e junho somou R$ 25,8 bilhões, uma queda de 56,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a empresa, são efeitos da queda dos preços de minério de ferro e cobre no final do trimestre, “ o que foi parcialmente compensado por maiores volumes de vendas de minério de ferro”, diz o balanço.

Para o Bradesco BBI, a recomendação para as ações da Vale continua sendo de compra. Os analistas destacaram que os números foram fracos, mas em linha com o visto no relatório de produção da semana anterior.

Ambas as blue chips do Ibovespa divulgaram distribuição de dividendos. A Petrobras irá pagar um valor recorde de R$ 87,8 bilhões aos seus acionistas, valor equivalente a R$ 6,732 por ação ON e PN.

A Vale irá pagar um valor bruto de R$ 16,24 bilhões aos seus acionistas, entre dividendos e juros sobre capital próprio. Somados, os pagamentos equivalem a R$ 3,57 por ação.

As ações PETR3 abriram em alta de 2,59%, a R$ 35,65, e as ações PETR4 com alta de 2,45%, a R$ 33,07. Já os papéis da Vale caíam 2,01% depois da abertura do Ibovespa, a R$ 69,20.

Outros balanços que devem movimentar o Ibovespa hoje são os números da Usiminas (USIM5) divulgados pela manhã, e a repercussão das divulgações de ontem, de Ecorodovias (ECOR3), Hypera (HYPE3) e Isa Cteep (TRPL4).

Em Wall Street, a temporada de balanços continua forte. Ontem, foi a vez das gigantes Amazon e Apple mostrarem seus números.

A empresa de Jeff Bezos registrou prejuízo no 2º TRI, mas teve um crescimento de receita acima do previsto e relatou otimismo com as vendas no restante do ano. As ações subiam mais de 10% no pré-market nesta manhã.

Já a empresa de Steve Jobs teve redução no lucro devido aos entraves na cadeia de produção dependentes da China. Mas as vendas de iPhones continuaram a crescer mesmo assim, mostrando a resiliência da Apple. Os papéis também subiam no pré-market: +2,7%.

Além disso, investidores se dividem em suas incertezas sobre a economia dos Estados Unidos. Ontem também houve a divulgação do PIB dos EUA, que mostrou uma queda de 0,9% no segundo trimestre, isso após ceder 1,6% no primeiro trimestre do ano.

Dois trimestres seguidos de queda são considerados uma recessão técnica. Mas Wall Street optou por avaliar o melhor cenário da situação: com a economia fraca, o Federal Reserve (banco central norte-americano) deverá diminuir o seu ritmo de aumento de juros.

Resultado: futuros de Nova York operam em alta e sinalizam um dia positivo. Às 10h, o Dow Jones subia 0,03%, o S&P 500 tinha alta de 0,39% e o Nasdaq avançava 0,64%.

Já o dólar comercial quebra uma sequência de cinco dias de queda e opera em alta nesta sexta, com subida de 0,20% às 10h, negociado a R$ 5,17.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: