Ibovespa sustenta os 100 mil pontos após IPCA-15 desacelerar em julho

Índice brasileiro segue o fechamento de ontem (25), com Petrobras (PETR3; PETR4) e outras petrolíferas em alta

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa iniciou a sessão de hoje (26) em leve alta de 0,23%, aos 100.497 pontos, por volta das 10h15 (horário de Brasília). Nesta manhã, o destaque no cenário doméstico ficou para a divulgação do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15), que desacelerou em julho — registrando a menor variação desde junho de 2020.

O indicador, que é a prévia oficial da inflação do Brasil, subiu 0,13% no mês, abaixo da expectativa do mercado. Em junho, o indicador registrou uma alta de 0,69% e a desaceleração é reflexo do impacto da redução das alíquotas de ICMS sobre os preços de combustíveis e energia.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O alívio levou o índice a acumular em 12 meses inflação de 11,39%, voltando a ficar abaixo de 12%, mas ainda mais de duas vezes o teto da meta oficial para a inflação este ano, que é de 3,5%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

“Mesmo assim, o Banco Central não deve alcançar a meta de inflação neste ano. Veremos na próxima semana mais uma alta da Selic. Acredito que até o fim do ano devemos chegar a uma taxa próxima a 14%, pois ainda não há motivos suficientes que justifiquem uma redução dos juros”, analisa Fabio Louzada, economista da Eu me banco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Assim como no fechamento da véspera, a alta do índice brasileiro é sustentado pela valorização das ações da Petrobras (PETR4; PETR3), que sobem 2,77%, a R$ 31,74, e 2,46%, a R$ 34,15, respectivamente.

No radar corporativo, os balanços ganham destaques. Após o fechamento do mercado, Carrefour Brasil (CRFB3), Vivo (VIVT3) e Neoenergia (NEOE3) divulgarão seus números do segundo trimestre.

Com a variação positiva da Bolsa brasileira nesta manhã, o Índice Bovespa descola dos futuros de Wall Street. Por lá, os indicadores refletem os resultados do Walmart, que cortou sua previsão de lucro.

Por lá, investidores também aguardam a decisão de política monetária do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, que acontecerá na quarta-feira (27).

Em meio a esse cenário, o Dow Jones futuro recua 0,47%, aos 31.818 pontos, o S&P 500 -0,54%, aos 3.949 pontos e o Nasdaq apresenta desvalorização de 0,67%, aos 12.271 pontos.

O dólar apresenta alta frente ao real nesta manhã, com valorização de 0,27%, a R$ 5,3830.

Na Ásia, as Bolsas fecharam sem direção única. Em Hong Kong, o Hang Seng subiu 1,67%, com a ação do Alibaba registrando forte alta de 4,82%.

Na China, o Xangai subiu 0,83% e o Shenzhen encerrou o dia com avanço de 1,01%. O Kospi subiu 0,39%. Já em Tóquio, o Nikkei perdeu 0,16% e, em Taiwan, o Taiex desvalorizou 0,87%.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: