IGP-DI desacelera alta a 0,62% em junho com queda de commodities no atacado

Apesar da leve desaceleração, o dado ficou acima da expectativa

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Um dos maiores recuos de preços do IGP-DI de junho foi do milho

Acessibilidade


O IGP-DI (Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna) passou a subir 0,62% em junho depois de um avanço de 0,69% no mês anterior com recuo nos preços de grandes commodities.

Apesar da leve desaceleração, o dado divulgado hoje (7) pela Fundação Getulio Vargas (FGV) ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,59%, e levou o índice a acumular, nos 12 meses até junho, alta de 11,12%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI), que responde por 60% do indicador geral, subiu 0,44% em junho, abaixo da taxa de 0,55% no mês anterior.

“O risco de recessão em grandes economias contribui para o recuo dos preços do milho (de -0,10% para -3,30%), do minério de ferro (de -4,61% para -1,63%) e da soja (de 2,76% para -0,81%)”, explicou André Braz, coordenador dos índices de preços da FGV.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Para o consumidor a alta dos preços foi mais intensa, com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) – que responde por 30% do IGP-DI – aumentando a 0,67% no período, de 0,50% em maio.

Os destaques foram Habitação (-1,37% para 0,43%), Alimentação (0,45% para 1,30%) e Vestuário (1,21% para 1,26%).

A alta do Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), por sua vez, desacelerou a 2,14% em junho, de 2,28% em maio.

O IGP-DI calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre o 1º e o último dia do mês de referência.

Compartilhe esta publicação: