Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA atingem nova máxima de 8 meses

Pedidos iniciais de auxílio desemprego subiram em 7 mil, para 251 mil, na semana encerrada em 16 de julho

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Anúncio de vaga de trabalho
REUTERS/Brian Snyder

Anúncio de vaga de trabalho em bar de Boston, EUA.

Acessibilidade


O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou pela terceira semana consecutiva na semana passada, para o maior nível em oito meses, sugerindo algum arrefecimento no mercado de trabalho em meio a uma política monetária e condições financeiras mais rígidas.

Os pedidos iniciais de auxílio desemprego subiram em 7.000, para 251.000 na semana encerrada em 16 de julho, contra 244.000 na semana anterior em dado não revisado, disse hoje (21) o Departamento do Trabalho.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Economistas consultados pela Reuters projetavam 240.000 pedidos na última semana

Com o crescimento do emprego ao longo do último ano passado, os pedidos caíram para uma mínima quase recorde em março e estavam em torno de 230.000 desde junho, antes do aumento da semana passada para o nível mais alto desde novembro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ainda assim, eles permanecem abaixo do nível considerado pela maioria dos economistas como um sinal ameaçador para o mercado de trabalho e para a economia em geral.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: