Revisão de imposto global deve entrar em vigor em 2024, diz OCDE

A reorganização tributária tem sido liderada pela OCDE e conta com o apoio de quase 140 países.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Sede da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico em Paris.

Acessibilidade


A maior revisão de regras tributárias internacionais em uma geração deve entrar em vigor em 2024, disse nesta segunda-feira a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em uma atualização do projeto para os ministros das Finanças do G20.

A reorganização, que tem sido liderada pela OCDE e com a qual quase 140 países concordaram no ano passado, tem como objetivo levar melhor em conta o surgimento de grandes empresas digitais, como a Apple e a Amazon, que podem embolsar lucros em países com impostos baixos.

O primeiro pilar da reforma em duas vertentes visa redistribuir 25% dos lucros das maiores multinacionais do mundo para tributação nos países onde seus clientes estão, independentemente da localização física das empresas. O segundo pilar busca estabelecer uma taxa mínima global de imposto corporativo de 15%.

Ambos os pilares deveriam ser implementados originalmente no próximo ano, embora isso sempre tenha sido visto como altamente ambicioso, dada a dificuldade de se chegar a um acordo sobre mudanças complexas nas leis tributárias de muitos países.

“Continuaremos trabalhando o mais rápido possível para finalizar este trabalho, mas também levaremos o tempo que for necessário para acertar as regras”, disse o Secretário Geral da OCDE, Mathias Cormann, em declaração.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Estas regras moldarão nossos acordos fiscais internacionais por décadas”, acrescentou ele.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: