Samsung tem maior lucro no 2º trimestre desde 2018 impulsionada por demanda por chips

A receita do segundo trimestre aumentou 21%

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Kim Hong-Ji/Reuters

Acessibilidade


A Samsung Electronics teve no segundo trimestre maior lucro para o período desde 2018, sustentado por fortes vendas de chips de memória para servidores, apesar da demanda de fabricantes de smartphones ter esfriado pela inflação.

As ações da maior fabricante de chips de memória e smartphones do mundo fecharam em alta de 3,2% após o anúncio, contra valorização de 1,8% no mercado mais amplo.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A Samsung teve lucro operacional de 14 trilhões de wons (US$ 10,7 bilhões), um aumento de 11% em relação ao ano anterior. O desempenho ficou um pouco abaixo da expectativa média de 14,45 trilhões de wons compilada pela Refinitiv junto a analistas.

A receita do segundo trimestre aumentou 21%, para 77 trilhões de wons, em linha com as estimativas do mercado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Outros fabricantes de microprocessadores alertaram recentemente para um iminente excesso de chips em clientes que estocaram componentes eletrônicos durante a pandemia para atenderem a demanda vinda pelos impactos das medidas de isolamento social.

“Espera-se que os fabricantes de chips de memória montem estoques este ano, pressionando a oferta, e aumentem as vendas quando os preços se recuperarem e a demanda se recuperar no próximo ano”, disse Park Sung-soon, analista da Cape Investment & Securities.

Os preços de chips DRAM específicos, usados ​​em dispositivos e servidores, caíram cerca de 12% no mês passado em relação ao ano anterior, segundo o provedor de dados TrendForce. Os preços dos chips NAND Flash, usados ​​para armazenamento de dados, também devem cair até 5% no período de julho a setembro em relação ao trimestre anterior.

Demanda fraca de smartphones

Aumento da inflação, preocupações com desaceleração nos principais mercados, guerra na Ucrânia e lockdowns na China resultaram na desaceleração das vendas de smartphones, deixando a demanda por chips de servidor como o único ponto positivo, disseram analistas.

Os resultados da Samsung foram protegidos porque grandes empresas de tecnologia dos Estados Unidos, como Amazon, Microsoft, Google e Meta, que usam muitos serviços de data center, continuaram comprando chips para atender à demanda por serviços de computação em nuvem, acrescentaram.

Um dólar forte, que atingiu a máxima de 20 anos, também ajudou a impulsionar o desempenho da empresa no segundo trimestre.

As vendas estimadas de smartphones pela divisão de telefonia móvel da Samsung no segundo trimestre foram de cerca de 62 milhões a 64 milhões de unidades, cerca de 5% a 8% abaixo da estimativa de março, disse a Counterpoint Research, citando impacto da inflação sobre a demanda. No primeiro trimestre, a Samsung vendeu 74 milhões de smartphones.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: