Ibovespa avança na abertura à espera de decisão do Copom

Mercado espera um aumento de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, indo para 13,75% ao ano

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa iniciou o pregão de hoje (3) em alta de 0,20%, aos 103.571 pontos, por volta das 10h20 (horário de Brasília), com investidores à espera da decisão de política monetária do Banco Central do Brasil, que será publicada a partir das 18h30. O mercado espera um aumento de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, indo para 13,75% ao ano.

Se o aumento for confirmado, essa será a 12ª alta consecutiva no ciclo de alta de juros, que já é o mais longo da história do Copom. A grande questão é se o ciclo será ou não encerrado nesta reunião.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

No último encontro, o Copom já havia sinalizado uma alta neste mês. “Para o próximo encontro, o Comitê antevê um novo ajuste, de igual ou menor magnitude”, comunicou a autarquia durante a decisão passada, quando também elevou os juros em 0,50 ponto percentual.

Para o Credit Suisse, o BC não interromperá o ciclo de aperto monetário em agosto, elevando as taxas de juros mais duas vezes em 25 pontos-base cada. “Em nossa opinião, interromper o ciclo de aperto em agosto seria altamente arriscado, dado que as expectativas de inflação estão significativamente desancoradas”, avaliaram os analistas do banco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ainda no cenário doméstico, a expansão da atividade de serviços do Brasil perdeu força em julho e teve o ritmo mais fraco desde o início do ano, depois de ter atingido um recorde no mês anterior, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da S&P Global.

O PMI caiu a 55,8 em julho, depois de em junho igualar a leitura mais alta da série histórica, de 60,8. Apesar da queda para a taxa mais fraca desde fevereiro no mês passado, o índice permanece bem acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

A atividade foi impactada por pressões inflacionárias no mês, que amorteceram o crescimento das vendas.

Cenário internacional

As Bolsas asiáticas encerraram a sessão de hoje majoritariamente em alta, com exceção de Xangai (-0,71%) e Shenzhen (-0,98%), ainda refletindo os temores com a visita Nancy Pelosi a Taiwan.

Já em Tóquio foi diferente, com o Nikkei subindo 0,53%. Em Hong Kong, o Hang Seng teve alta de 0,40% e, em Seul, o índice Kospi encerrou o dia com valorização de 0,89%. Em Taiwan, o Taiex avançou 0,20%.

Nos Estados Unidos, os índices futuros operam em alta. O Dow Jones futuro sobe 0,48%, a 32.518 pontos. O S&P 500 e o Nasdaq avançam 0,54% e 0,58%, respectivamente.

Apesar do campo positivo, as tensões geopolíticas elevadas continuam no radar dos mercados, alertou a XP em nota, citando a visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taiwan, que foi condenada veementemente pela China.

A XP também chamou a atenção para recentes comentários agressivos de membros do Federal Reserve, banco central dos EUA, que indicaram a necessidade de continuidade de seu intenso ciclo de aperto monetário, mesmo diante de temores de recessão.

O dólar opera em desvalorização ante o real nesta manhã, caindo 0,29%, a R$ 5,2641. (Com Reuters)

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: