Caso Americanas: perita em busca e apreensão de documentos renuncia

A advogada Patricia Punder preferiu renunciar à indicação de perita no caso de busca e apreensão de documentos da Americanas 

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Fachada de loja da Americanas em Brasília
Ueslei Marcelino/Reuters

Fachada de loja da Americanas em Brasília

Acessibilidade


O escritório Punder Advogados anunciou hoje (1) que a advogada Patricia Punder preferiu renunciar à indicação de perita no caso de busca e apreensão de documentos da Americanas aberto na Justiça de São Paulo contra a varejista no final de janeiro.

Na semana passada, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ordenou a apreensão de todos os emails corporativos de executivos e membros do conselho de administração da Americanas nos últimos 10 anos e tinha nomeado Punder e a Ernst & Young como especialistas em contabilidade e evidências forenses para trabalhar no caso pedido pelo Bradesco.

Mas hoje (1) o escritório da advogada afirmou que ela renunciou à indicação por desacordo entre as partes sobre os honorários, “potencial futura tentativa de interferência em relação aos pilares de independência e imparcialidade nos serviços forenses e por questões de integridade pessoal”.

O escritório não deu mais detalhes sobre o que chamou de possível interferência no processo de apuração.

Compartilhe esta publicação: