Stark Bank lucrou US$ 6,6 milhões em 2022, alta de 1.100%

Fintech recebeu um aporte do Bezos Expedition, fundo pessoal do bilionário Jeff Bezos, fundador da Amazon.

Busakorn Pongparnit / Getty Images
Busakorn Pongparnit / Getty Images

Stark Bank: foco em gestão de caixa e cartões corporativos

Acessibilidade

A fintech Stark Bank, focada na prestação de serviços bancários para grandes empresas, lucrou US$ 2 milhões (R$ 10,5 milhões) no quarto trimestre de 2022, sendo US$ 6,6 milhões (R$ 31,5 milhões) em todo o ano passado. O resultado é 1.100% maior que os US$ 550 mil (R$ 2,9 milhões) de 2021. Com esse resultado, a fintech obteve uma rentabilidade patrimonial de 157% no ano passado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Apesar do ambiente adverso para as fintechs devido à alta dos juros nos Estados Unidos, a fintech seguiu crescendo pela aposta em produtos que não dependem de juros, como gestão de caixa das empresas e cartão corporativo. No ano passado, a fintech processou US$ 10 bilhões (R$ 52,5 bilhões) em pagamentos, uma alta de 578% comparado com o volume de 2021. “Nosso foco é ganhar escala”, diz Rafael Stark, CEO e fundador da Stark Bank.

A Stark Bank tem cerca de 500 clientes e emprega 73 pessoas. Segundo o CEO, neste ano serão oferecidos R$ 300 milhões em linhas de crédito no cartão corporativo e será lançado um investimento em renda fixa. A fintech fundada há quatro anos. Captou US$ 13 milhões (R$ 68 milhões) em 2021 em uma rodada “Series A” e mais US$ 45 milhões (R$ 236 milhões) em uma rodada “Series B” em 2022, com a participação do Bezos Expedition, o fundo pessoal de Jeff Bezos, fundador da Amazon.


Conteúdo publicitário