Justiça condena Samarco, Vale e BHP a pagamento de R$ 47,6 bi por rompimento de barragem em Mariana

O desastre resultou na morte de 19 pessoas, desabrigou centenas e causou danos ambientais significativos

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Escombros da escola municipal de Bento Rodrigues, que ficou coberta de lama após rompimento de uma barragem da Vale e da BHP, em Mariana, Minas Gerais.

Acessibilidade


A Justiça Federal condenou as mineradoras Samarco, Vale e BHP ao pagamento de indenização de 47,6 bilhões de reais pelo rompimento de uma barragem em Mariana (MG), de acordo com decisão da 4ª Vara Federal Cível e Agrária da SSJ de Belo Horizonte vista pela Reuters nesta quinta-feira.

  • Siga o canal da Forbes e de Forbes Money no WhatsApp e receba as principais notícias sobre negócios, carreira, tecnologia e estilo de vida

O rompimento da barragem ocorreu em novembro de 2015, liberando uma onda gigante de rejeitos de mineração que matou 19 pessoas e deixou centenas de desabrigados, além de atingir florestas e rios, incluindo o rio Doce, em toda a sua extensão até o mar no Espírito Santo.

A barragem pertencia à mineradora Samarco, uma joint venture da Vale com a BHP

Compartilhe esta publicação: