A universitária que criou uma loja online e se transformou em uma empreendedora serial

Alison Coleman
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

Seu objetivo era ganhar para pagar despesas básicas, mas em três meses com seu negócio online Olivia Crabtree virou uma empreendedora de sucesso

Acessibilidade


Quando alguém abandona a faculdade, muitas vezes é por conta de problemas financeiros. Mas quando Olivia Crabtree, 21 anos, largou o curso, foi porque a pequena loja na Etsy que ela montou para melhorar sua situação financeira, rendeu uma soma de seis dígitos em um ano. E a colocou no caminho de uma nova carreira como empreendedora.

Em 2019, Crabtree começou uma graduação em meio ambiente, ecologia e economia na Universidade de York. Como a maioria dos estudantes em tempo integral, ela nunca tinha muito para gastar. Quando juntou dinheiro suficiente para empreender, ela montou um negócio na plataforma Etsy vendendo presentes artesanais como velas e flores de seda. Seu objetivo era ganhar dinheiro suficiente para pagar suas despesas semanais com comida, mas em três meses ela ganhou £ 16,4 mil (cerca de R$ 100 mil).

“Eu nunca tive nenhum treinamento de negócios e estava fazendo isso apenas pela renda extra, mas quando entrei no ritmo de administrar e vi que as vendas estavam crescendo, eu quis aprender mais”, diz ela.

Livro sobre empreendedorismo

As vendas estavam indo tão bem que, seis meses depois de começar a faculdade, ela decidiu abandonar os estudos para administrar sua loja em tempo integral. No entanto, não demorou muito para que ela percebesse que suas motivações eram puramente financeiras e que ela não tinha paixão real por aquele negócio. Sua vocação era ajudar outras pessoas.

“Eu estava compartilhando conselhos e dicas com outros vendedores do Etsy e o feedback foi que minha ajuda tinha aumentado as vendas deles. Alguém sugeriu que eu produzisse um eBook para a Etsy e foi isso que eu fiz. Escrevi ‘The Small Business Handbook’ em três dias, lancei-o e ganhei mais dinheiro nas primeiras 24 horas do que em qualquer outro trabalho que eu já tinha feito até então”, diz.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Crabtree passava as noites fazendo testes de SEO, que acabou se tornando sua principal fonte de tráfego e lendo sobre marketing e branding

A estratégia de marketing de Crabtree inicialmente se concentrou no Instagram e no TikTok, as melhores plataformas para viralizar conteúdos. Ela postava vídeos educacionais e teve seu primeiro pico de audiência após 51 vídeos. Ela também aproveitou a venda via Instagram Stories. “Muitas empresas não se preocupam com os stories, pois seu alcance é significativamente menor, mas esquecem que esses poucos espectadores são seus seguidores mais engajados e, portanto, é muito mais fácil converter as vendas”, diz.

Com seu novo negócio crescendo rapidamente, ela decidiu fechar sua loja na Etsy e se concentrar em expandir o novo empreendimento. Ela começou a produzir diariamente vários conteúdos que cobriam todos os aspectos do planejamento de negócios, de SEO a conceitos de branding.

Hoje, Crabtree tem uma equipe de oito pessoas, incluindo quatro assistentes de embalagem, um assistente virtual e um gerente do Pinterest. Seu negócio faturou £ 234 mil (R$ 1,4 milhão) em seu primeiro ano até março de 2022. Vários novos negócios, voltados especificamente para ajudar coaches, fornecedores de serviços e influenciadores estão em andamento, assim como planos para lançar uma organização sem fins lucrativos para ajudar pessoas carentes a ganhar dinheiro online.

No próximo ano, a empreendedora tem a ambição de abrir uma loja de departamentos que venderá apenas itens de produtores independentes e criadores. “Meu objetivo é me tornar a Selfridges das pequenas empresas, com lojas em todo o país”, diz.

Aconselhamento para negócios online

Crabtree teve grande apoio de sua família e credita Steve Jobs como sua maior inspiração. “Eu me identifico com a história dele. Ver como ele se tornou bem-sucedido me dá muita esperança. Ele também foi a razão pela qual eu parei de me arrepender das coisas que fiz. Lembro-me de ouvir seu discurso onde ele fala sobre ‘ligar os pontos’, e foi aí que percebi que se não tivesse desistido da universidade ou fechado meu primeiro negócio, não estaria onde estou hoje.”

O conselho que ela oferece a outros jovens empreendedores é semelhante: “Viva a vida que você quer, não aquela que alguém está tentando criar para você. Muitas vezes penso em como minha vida seria diferente se tivesse ouvido as pessoas que me disseram para não abandonar a universidade”.

“Lembre-se que enquanto você está ardendo de paixão, as pessoas que lhe dão conselhos não estão e, portanto, não estão qualificadas para tomar decisões por você. Saia da sua zona de conforto, tenha confiança em si mesmo e se recuse a aceitar o fracasso. Não é uma opção.”

Compartilhe esta publicação: