Sandra Montes troca Rappi pela Olist e aposta no crescimento do e-commerce

Nova Chief Marketing Officer da startup unicórnio integra a lista de Melhores CMOs do Brasil de 2022, segundo a Forbes

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Sergio Zacchi

Sandra Montes: “Velocidade de errar é vital para um líder”

Acessibilidade


A Olist, startup especializada em soluções para e-commerce, que se tornou unicórnio em dezembro de 2021, passando a ser avaliada em mais de US$ 1 bilhão, contratou Sandra Montes como nova Chief Marketing Officer (CMO). Com mais de 20 anos de experiência na área de marketing em empresas globais, a executiva irá contribuir para o desenvolvimento das marcas Olist, Tiny e Vnda na América Latina.

Formada em Economia, com MBA em Marketing pela ESPM, Sandra ainda acumula especialização em Branding, Sustainable Growth e Digital Platforms pela Harvard Business School e também no Massachusetts Institute of Technology, o MIT. Como CMO,  a  executiva já teve passagens por Electrolux, OLX e Rappi. Recentemente, entrou para a lista de melhor CMO do Brasil da Forbes.

“A minha decisão de vir para o Olist está totalmente ligada ao propósito e à cultura da empresa. Quando entendi que podemos democratizar o digital, impactando milhares de empresas e a vida das pessoas ligadas a elas, percebi que queria fazer parte disso” explica Sandra Montes que reforça a importância de um líder saber assimilar todas as experiências que compõem sua trajetória.

Leia mais: Os 10 Melhores CMOs do Brasil em 2022

“Acredito que nos tornamos exatamente a soma de tudo o que vivemos. O segmento de bens duráveis, me mostrou uma visão muito clara do consumidor e das conexões emocionais em se construir uma marca. A OLX, foi a minha entrada em tecnologia, me fez perceber que a força do propósito é essencial utilizando a tecnologia como ferramenta. E no last-mile, com o Rappi, assimilei o quanto a marca é importante para o usuário se sentir seguro na sua entrega. Todos estes aprendizados quando dentro de uma startup que possui uma pauta extremamente positiva na geração de impacto e crescimento, me fazem ter a certeza de estar no lugar certo”, explica.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Sobre a transição de grandes empresas de consumo para o mundo de startups, Sandra reforça os aprendizados da agilidade e cultura do erro. “A velocidade é um fator primordial, entender que podemos errar, mas corrigir rapidamente é essencial. E se permitir, é libertador. Entendo que minha experiência contribui para o equilíbrio de alguns fatores, como por exemplo: métricas de curto e longo prazo, não há êxito em se entregar growth acelerado que não seja sustentável. Outro fator, não há branding que não construa growth, e não há growth que não construa branding, e isso muitas vezes é desconsiderado”, explica Sandra.

Leia mais: Do Itaú à Web3: conheça o novo CMGO da holding do Mercado Bitcoin

“Este foi o movimento mais importante da minha carreira, me trouxe flexibilidade e me inseriu na nova economia. Ambições claras de impactar um bilhão de pessoas. O impossível deixa de existir. Os desafios e oportunidades são molas propulsoras de se questionar todos os dias a querer aprender mais. Ter a visão holística de todo o processo, entre estes dois mundos, é a minha maior conquista. Ampliar horizontes é necessário, é revigorante, é imprescindível. Me mantém viva”, explica Sandra.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: