Decorati, da Loft, contrata serviço de jovens no sertão da Paraíba para suprir demanda por projetos

Nove técnicos em edificações já colaboraram com mais de 400 obras da startup

Gabriela Arbex
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Nove jovens recém-formados estão desenvolvendo a base dos projetos da Decorati

Acessibilidade


A Decorati, startup especializada na reforma e decoração de apartamentos adquirida em 2019 pela Loft, fechou uma parceria com o projeto Bim Solidário para levar oportunidades de trabalho para técnicos recém-formados no sertão da Paraíba. Em menos de dois meses, a iniciativa já resultou em mais de 400 projetos arquitetônicos iniciais.

“Com o aumento da nossa demanda, a base dos projetos que antes eram feitos por profissionais autônomos de São Paulo passou a ser enviada para técnicos recém-formados do sertão da Paraíba. A ideia é que, até o final do ano, mais de 1.500 projetos da empresa venham dessa parceria. Também pretendemos aumentar o escopo ao longo do tempo”, explica Murillo Morale, fundador da Decorati.

LEIA MAIS: Loft cria marketplace de reforma de imóveis

A parceria juntou o útil ao agradável: está garantindo agilidade às entregas da empresa ao mesmo tempo em que abre portas para a primeira experiência profissional desses jovens, oriundos de famílias com renda inferior a um salário mínimo.

Os primeiros nove profissionais que estão colaborando com a startup são técnicos em edificações formados pelo Instituto Federal da Paraíba (IFPB), no município de Princesa Isabel, localizado no sertão paraibano com aproximadamente 20 mil habitantes. Os jovens foram recrutados e capacitados pelo projeto BIM Solidário, iniciativa social que tem o objetivo de inserir no mercado de trabalho jovens entre 18 e 23 anos que vivem em regiões periféricas. Segundo levantamento da pró-reitoria do IFPB, 63% dos estudantes que ingressaram em 2020 na unidade de Princesa Isabel vivem com renda familiar per capita inferior a 25% do salário mínimo. Outros 21% têm renda familiar per capta de até meio salário mínimo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Até o final do ano, teremos pago mais de R$ 30 mil pelos projetos feitos. É uma parceria onde todo mundo ganha: a empresa, os técnicos e suas famílias, e também a economia da cidade”, diz Moralle. Até agora, quase R$ 8 mil já foram destinados aos jovens que participam da iniciativa.
Um deles é Mariana da Silva, de 20 anos. Técnica em edificações, a jovem mora com o pai e dois irmãos na zona rural de Juru, que fica a 30 quilômetros de Princesa Isabel. Desde os 15 anos, trabalha com atividades domésticas para complementar a renda familiar e, nos últimos meses, já realizou mais de 50 projetos para a Decorati, com média de 3,5 horas por dia de trabalho.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

“Não existia oportunidade nenhuma aqui na região. Agora, tenho mais experiência e vivência sobre a área de construção. Cada projeto é uma experiência nova. O valor que recebo pelos projetos vai me ajudar em casa e também a comprar meu próprio notebook”, diz.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: