Hackers russos e norte-coreanos atacam pesquisa de vacina contra Covid-19, diz Microsoft

Kacper Pempel/Reuters
Kacper Pempel/Reuters

A Microsoft se recusou a nomear as organizações que foram alvos e divulgar outros detalhes sobre os ataques

Hackers trabalhando para os governos da Rússia e da Coreia do Norte têm como alvo sete organizações envolvidas no desenvolvimento de tratamento e vacinas contra Covid-19 em todo o mundo, disse a Microsoft hoje (13).

A empresa disse que um grupo de hackers russo geralmente chamado de “Fancy Bear” – junto com dois grupos norte-coreanos chamados de “Zinco” e “Cerium” pela Microsoft – foram implicados em recentes tentativas de invadir as redes de sete empresas farmacêuticas e pesquisadores de vacinas de Canadá, França, Índia, Coreia do Sul e Estados Unidos.

LEIA MAIS: PF abre inquérito para apurar ataque de hackers a computadores do STJ

A Microsoft disse que a maioria dos alvos são organizações que estão testando as vacinas contra Covid-19. A maioria das tentativas de invasão falhou, mas um número não especificado de ataques foi bem-sucedido, acrescentou.

A Microsoft se recusou a nomear as organizações que foram alvos e divulgar outros detalhes sobre os ataques.

A embaixada russa em Washington – que negou repetidamente alegações de envolvimento em espionagem digital – disse em e-mail que não havia nada a acrescentar às declarações anteriores.

O representante da Coreia do Norte nas Nações Unidas não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários. Pyongyang já havia negado participação em ataques hackers no exterior. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).