Vendas de smartphones caem, Pix, robôs, IA, Bitz, VW & Muito Mais

Arte sobre foto/ Getty Images

TENDÊNCIAS GLOBAIS

Vendas de smartphones diminuem no terceiro trimestre de 2020

Uma queda de 5,7% em vendas mundiais de smartphones foi registrada no terceiro trimestre de 2020 em relação ao mesmo período no ano passado, segundo a empresa de pesquisa e consultoria Gartner. No total, a indústria global de telefones celulares vendeu 401 milhões de unidades para usuários finais, o que representa um declínio de 8,7% na comparação ano a ano.

Entre os cinco maiores fabricantes, a Samsung é a líder, com 22% do mercado, seguida da Huawei, com 14%. A novidade é a Xiaomi, que superou a Apple e assumiu a terceira posição do ranking global pela primeira vez, com 44,4 milhões de unidades vendidas. As vendas da Apple durante o terceiro trimestre totalizaram 40,5 milhões de unidades.

Segundo o relatório, consumidores estão evitando gastos não-essenciais, mesmo depois que as restrições começaram a melhorar. As incertezas econômicas e o medo contínuo da próxima onda da pandemia continuam a colocar pressão sobre este tipo de gastos até o final de 2020, segundo o estudo, e o atraso no 5G também limitou oportunidades para os fornecedores de smartphones.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

****
TENDÊNCIAS NACIONAIS

Pix cresce em adesão e usuários vislumbram possibilidades além da transferência

O Pix, novo serviço de pagamentos instantâneos do Banco Central, é visto como a melhor opção de pagamento para 60% dos usuários de internet. O sistema é considerado uma alternativa melhor do que as transações bancárias DOC e TED, segundo uma pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao IBOPE com 2 mil brasileiros.

O estudo sugere que 45% dos usuários pretendem usar o serviço para pagar produtos e serviços em lojas, já que o serviço permite o uso de QR Codes que podem ser lidos na maquininha ou na tela do computador do caixa, por exemplo. Segundo a pesquisa, 53% dos entrevistados vão preferir o Pix ao pagamento com cartão nas maquininhas. Metade dos entrevistados (56%) pretende utilizar o Pix para pagar contas de consumo, como telefone, água e luz.

Divulgação

Cresce uso de robôs na saúde

Mais de 11 mil atendimentos no Hospital das Clínicas de São Paulo foram realizados por robôs de telepresença. O Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP está usando os equipamentos na triagem do ambulatório, enfermaria, UTI e ações de entretenimento. A “equipe” de três robôs foi ampliada com mais cinco equipamentos entregues nesta semana pela Pixeon, empresa de tecnologia e inovação para saúde, em parceria com a Pluginbot, que viabilizou a usabilidade dos robôs dentro do HC. Os equipamentos permitirão que os médicos da unidade realizem atendimentos aos pacientes com Covid-19 usando recursos de telepresença, além de melhorar a experiência no atendimento médico, assistencial, hospitalar e do paciente.

Outra novidade nessa área é o início das operações, no Brasil e no Chile, da CMR Surgical, empresa de dispositivos médicos do Reino Unido. A empresa é a desenvolvedora do robô cirúrgico Versius (foto), que promete reduzir o risco de infecções, entregar melhores resultados clínicos, diminuir o tempo de permanência hospitalar dos pacientes e gerar chances menores para complicações e reinternações. Testado em mais de 1.000 casos clínicos em todo o mundo, um de seus diferenciais está no sistema compacto e modular, que possibilita a movimentação do robô para diferentes salas dentro dos centros cirúrgicos. Além disso, a tecnologia 3D HD garante maior precisão cirúrgica e os instrumentos do Versius, de apenas 5 mm, contribuem para um menor trauma cirúrgico em comparação com os instrumentos tradicionais robóticos e laparoscópicos. A tecnologia tem sido utilizada em cirurgias diversas, como colorretais, gastrointestinais, ginecológicas, hérnias e urológicas.

Telecoms e internet reduzem ligações de spam, serviços financeiros crescem

O Brasil é o país que mais faz ligações indesejadas com ofertas de produtos e serviços (spam), segundo o um ranking de 20 países no relatório Truecaller Insights 2020. Segundo o estudo, o Brasil é líder em ligações de spam desde 2018, quando ultrapassou a Índia. Esse tipo de recurso cresceu 9% neste ano, o que significa um aumento da média de 45,6 chamadas indesejadas recebidas por usuário mensalmente em 2019 para 49,9 neste ano.

Segundo a pesquisa, que é realizada com base nas chamadas e mensagens indesejadas identificadas pelo aplicativo Truecaller, houve uma mudança no tipo de empresa que mais faz ligações spam no Brasil. No ano passado, a maioria das chamadas partia de operadoras de telecomunicações e fornecedores de serviços de internet, mas neste ano estes setores representaram apenas 6% das ligações.

Atualmente, quem mais faz ligações indesejadas são instituições financeiras, que intensificaram as ofertas de cartões de crédito, seguros e empréstimos e saltaram de 13% para 42% na representação de autores deste tipo de chanada. A maior proporção de ligações, no entanto, é feita por golpistas: contatos fraudulentos saltaram de 26% para 48%, e agora figuram como as principais chamadas de spam no Brasil.

Adoção de IA pode adicionar 4,2% de crescimento ao PIB do Brasil até 2030

Um estudo da consultoria norte-americana FrontierView realizado a pedido da Microsoft revelou como a economia, a produtividade e os empregos no Brasil poderiam se beneficiar se o país maximizasse a adoção de IA até 2030, um cenário que se tornou mais provável com a aceleração da transformação digital que ocorreu durante a pandemia. De acordo com a análise da consultoria, o país pode vivenciar dois cenários distintos: o benefício mínimo e o máximo com a adoção plena da IA, que diferem no volume gerado com a expansão de indústrias existentes e novas por meio da implementação de novas tecnologias. No primeiro cenário, espera-se que o uso da IA adicione 1,8% ao PIB brasileiro até 2030, enquanto no segundo, o crescimento adicional poderia chegar a 4,2%. Ambos os cenários pressupõem que o país adote todas as funcionalidades de IA disponíveis atualmente até 2030. O segundo cenário leva em conta também o uso da tecnologia por empresas e governos na expansão de suas operações (e não apenas para automatizar tarefas) e que o mercado de trabalho brasileiro possa atender à demanda por novos postos habilitados pela IA.

LEIA MAIS: Empresas devem gastar US$ 50 bilhões em inteligência artificial em 2020

****
O QUE MAIS ESTÁ ACONTECENDO NO ECOSSISTEMA

ServiceNow anuncia aquisição da Element AI

A ServiceNow anunciou um acordo para adquirir a especialista em inteligência artificial Element AI, aumentando significativamente seu compromisso no desenvolvimento de plataformas de fluxos de trabalho mais inteligentes, capazes de imprimir agilidade, simplificar as decisões das empresas e aumentar a produtividade. Com a aquisição, a ServiceNow vai criar o AI Innovation Hub, um polo de inovação da tecnologia no Canadá para acelerar novos desenvolvimentos com foco no cliente. O hub canadense vem na esteira de investimentos semelhantes feitos pela companhia para criar centros de desenvolvimento tecnológico em Chicago, Hyderabad, Kirkland, Washington, San Diego e no Vale do Silício.

Divulgação

Bitz do Bradesco anuncia a compra da fintech 4ward

O Bitz, carteira digital e conta de pagamento do Bradesco, acaba de anunciar a aquisição da 4ward, fintech que atua no mesmo segmento desde 2013. A iniciativa marca a união com mais uma startup especializada em meios de pagamento, acelerando o processo de estruturação dos times de tecnologia e produto da empresa. A operação acrescenta ao Bitz um robusto conhecimento em desenvolvimento de soluções que atendem a uma cadeia completa de meios de pagamentos. Essa é a segunda aquisição do Bitz desde seu lançamento em setembro. Em outubro realizou também a incorporação da fintech DinDin. O Bitz possibilita aos clientes manter dinheiro na carteira digital para fazer pagamentos de contas diretamente do celular.

Parque tecnológico pretende gerar 30 mil empregos

A região oeste do Paraná vem se consolidando como um polo de pesquisa, desenvolvimento e tecnologia graças à atuação do Biopark, parque tecnológico privado, localizado em Toledo (PR), que tem o objetivo de impactar vidas, principalmente com a formação de mão de obra qualificada e geração de empregos. De acordo com Luiz Donaduzzi, fundador e presidente do Biopark, a meta é ter 300 empresas instaladas até dezembro de 2021, e gerar 30 mil novos postos de trabalho em aproximadamente 30 anos. Em troca dos benefícios oferecidos, as empresas assumem um compromisso de crescimento e geração de novos empregos. “Para nós o Biopark tem o significado de sentido de vida e queremos que todos ganhem com a sua consolidação. As empresas que estão conosco, principalmente as pequenas e médias, têm que crescer pelo menos 100% ao ano, porque terão as ferramentas para isso”, explica Donaduzzi. Atualmente, o parque abriga mais de 100 empresas, incluindo as internacionais, e quatro universidades em uma área total de mais de 5 milhões de metros quadrados, que está recebendo mais de R$ 300 milhões em investimento. Por meio de várias âncoras e da integração entre indústrias, instituições de ensino, pesquisa e negócios, o empreendimento quer ter representatividade não só na região, mas em todo o país.

Divulgação

Volkswagen lança VW e-store

A Volkswagen do Brasil deu hoje (9) mais um passo em direção à conectividade e digitalização da jornada do cliente ao lançar nacionalmente sua loja on-line, a VW e-store. A iniciativa tem o objetivo de garantir mais comodidade e conveniência aos clientes, uma vez que disponibiliza uma plataforma capaz de permitir que o consumidor escolha a concessionária de sua preferência, configure qualquer modelo da marca, simule e consulte o crédito pré-aprovado junto ao Volkswagen Financial Services. No final, mediante o pagamento do sinal, é só efetivar a compra diretamente no estoque do concessionário. A plataforma, que entra em funcionamento no próximo dia 11, conta com a participação de toda a rede – cerca de 500 concessionárias em todo o país – e com todos os modelos comercializados pela marca no Brasil. Também é possível, pela mesma ferramenta, fazer a avaliação do carro usado, que pode ser inserido na negociação.

Barilla amplia atuação no e-commerce com venda de produtos no Mercado Livre

Durante a pandemia, por conta do isolamento social, a marca de massas Barilla enxergou o seu momento de mergulhar no e-commerce firmando uma parceria com o Mercado Livre. De janeiro a outubro de 2020, o volume de vendas online da marca cresceu mais de 800% em comparação ao mesmo período do ano passado. “De uma hora para outra, o mercado online se tornou um espaço extremamente relevante para o setor de alimentos. Foi uma oportunidade para criar e desenvolver novos canais e estratégias, que certamente continuarão crescendo”, afirma Fabiana Araújo, gerente de marketing da Barilla. Para 2021, a empresa pretende dobrar o volume de vendas online, o que pode ser facilitado pela parceria com o Mercado Livre, uma plataforma com mais de 52 milhões de usuários únicos.

Divulgação

Alvaro Garnero é o novo sócio da plataforma iFriend

O empresário e Embaixador do Turismo no Brasil Alvaro Garnero é o mais novo sócio da iFriend, plataforma especializada na conexão entre turistas e profissionais do setor lançada em 2017. Com atuação em 126 países e mais de 5 mil profissionais cadastrados em seu sistema, o aplicativo tem, entre seus principais objetivos, a valorização do turismo como negócio. Desenvolvido por Leonardo Brito e Diogo Leão, surgiu inicialmente apenas no Brasil e, em 2018, expandiu sua atuação para outras cidades do mundo. “O iFriend dá uma chance a milhares de pessoas de exercerem uma profissão. Isso vira um ecossistema positivo: a pessoa vai estudar mais sobre o lugar onde mora, vai se orgulhar, cuidar melhor da sua própria casa e valorizar o turismo”, destaca Garnero. Apesar do impacto no turismo em 2020, o negócio segue com projetos de crescimento, que envolvem a expansão das operações em Portugal, México, Canadá e Argentina. Para isso, a plataforma de serviços busca interessados em investir no negócio.

Divulgação

Pesquisa agropecuária usa blockchain para rastrear cadeia da cana-de-açúcar

No mundo das transações financeiras, a tecnologia blockchain já é bem conhecida. No entanto, conduzido pela Embrapa, um novo projeto surpreende na utilização do serviço: o rastreamento da cadeia de cana-de-açúcar. A ideia é utilizar uma ferramenta que armazene, registre, organize e rastreie os processos e produtos agroindustriais de uma cadeia, garantindo maior confiabilidade e segurança das informações fornecidas ao consumidor sobre a origem das matérias-primas e insumos adquiridos. As pesquisas ligando a inteligência artificial com os trabalhos em campo começaram no início do ano e a Embrapa conta com a parceria da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Coplacana), da Safe Trace e da Usina Granelli.

Construtora SKR oferece aplicativo para ajudar moradores

Se a tecnologia já vem tomando seu espaço na maioria dos setores da sociedade nos últimos anos, na pandemia essa questão apenas se acelerou. No setor de imóveis, a SKR mostra sua busca pelo avanço digital ao criar uma startup focada em pensar inovação 24 horas por dia. Para isso, conta com o aplicativo Compass, capaz de ajudar moradores em inúmeras tarefas, como programar a visita de um técnico eletricista, autorizar a entrada de um visitante, alugar um carro ou bicicleta, receber avisos sobre a chegada de uma encomenda e até marcar banho e tosa para o animal de estimação da família. Qualquer empreendimento imobiliário que tenha a assinatura SKR traz essa tecnologia de serviços, que podem ser contratados de acordo com a necessidade do morador.

Grupo Nexxera se reposiciona e passa a se chamar Grupo Nexxees

Com 28 anos de atuação recém completados, uma das especialidades do Grupo Nexxera é oferecer plataformas integradas de serviços de automação bancária, gestão de cobranças e recebimentos e tecnologias de relacionamento com fornecedores. Para comemorar as quase três décadas, o grupo está se reposicionando e, como parte dessa estratégia, passa a se chamar Grupo Nexxees e a operar como um serviço integrado desenvolvido para automatizar e otimizar a tomada de decisão pelas empresas conectadas ao seu ecossistema, o Hubly, produto desenvolvido e operacionalizado em sistema SaaS (Software as a Service). Ao fazer parte deste ecossistema os clientes de diferentes segmentos e empresas de todos os portes passam a ter acesso às soluções inteligentes que ampliam suas possibilidades, facilitam o acesso à cadeia de valor e tomada de crédito que viabilizam o desenvolvimento de negócios, empresas e da economia brasileira. Fazem parte do grupo as empresas Nexxera e Nix, as investidas Maná e Tempo Certo e o Instituto Nexxera, braço social.

Pardini inicia testes para transportar amostras de exames por drones

O Grupo Pardini anunciou uma parceria com a Speedbird Aero para desenvolver a logística aérea não tripulada de amostras biológicas e para obter as liberações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), bem como das Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais. Na primeira etapa do projeto, após as autorizações necessárias e o Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE) da Anac, o programa iniciará os testes de transporte de amostras com os drones. A expectativa é que nesta primeira quinzena de dezembro, os primeiros voos de demonstração sejam realizados. A Speedbird já possui a autorização da ANAC para atuar no transporte de entregas. A startup é a primeira empresa do Brasil e América Latina a utilizar drones para o transporte aéreo de produtos e medicamentos com capacidade de até 8 kg. Desde janeiro de 2018, a Speedbird vem desbravando o setor de delivery com drones e já efetuou várias entregas em solo brasileiro. Atualmente, o Grupo Pardini coleta mais de 300 mil amostras por dia para serem processadas que vêm de mais de 6 mil laboratórios, clínicas e hospitais em quase 2 mil cidades do país.

****
INVESTIMENTOS

SeeTree arrecada US$ 30 milhões

A SeeTree, empresa da área de agritech que oferece serviços de inteligência artificial que melhoram o desempenho das colheitas, arrecadou US$ 30 milhões (R$ 153 milhões) em uma rodada de investimento conduzida pelo IFC – International Finance Corporation, o braço do setor privado do Banco Mundial. Essa terceira rodada de investimento, uma das maiores para uma empresa no segmento de agritech em Israel, permitirá a ampliação dos serviços para novas plantações e a expansão da atuação global da empresa, com o aumento das equipes de Pesquisa & Desenvolvimento e de atendimento ao cliente. Além do IFC, investiram na SeeTree, a Citrosuco, uma das maiores produtoras de suco de laranja do mundo, a Orbia Ventures (venture capital corporativa da Orbia); a Kubota (fabricante japonesa especialista em equipamentos agrícolas, como tratores) e a Hanaco Ventures (venture capital com sede em Tel Aviv e Nova York). Entre os objetivos da nova fase, está a ampliação do serviço de inteligência para colheitas em todo o mundo, incluindo o Brasil.

Aporte milionário turbina cibersegurança com inteligência artificial

A SentinelOne, empresa israelense de soluções de cibersegurança autônoma para endpoint que integra inteligência artificial e machine learning, acaba de receber um aporte de capital de US$ 267 milhões. O investimento foi liderado pela Tiger Global Management, com participação da Sequoia Capital Global Equities e investidores de rodadas anteriores, como a Insight Partners e Third Point Ventures. O crescimento da empresa, que havia recebido dois aportes, um de US$ 120 milhões em junho do ano passado, e outro de US$ 200 milhões em fevereiro deste ano, triplicou seu valor de mercado, que hoje ultrapassa os US$ 3 bilhões.

****
CRESCIMENTO

Housi cresce na pandemia

A Housi, startup de moradia por assinatura do grupo Vitacon, reportou um aumento de 167% nos contratos de seu serviço, focado em atender as novas necessidades de pessoas e empresas na pandemia e descrito como pioneiro no mundo. Segundo a empresa, o aumento se refere ao número de contratos julho e setembro deste ano na comparação com o trimestre anterior, e o faturamento da empresa aumentou em 193% no mesmo período.

****
RECONHECIMENTOS & PREMIAÇÕES

Globant divulga vencedoras de premiação de mulheres em tecnologia

A empresa argentina de transformação digital Globant anunciou as vencedoras do prêmio Women That Build. A iniciativa visa reconhecer mulheres que trabalham no setor de tecnologia e atuam na gestão de projetos de inovação e colaboração, e promovem a diversidade e a inclusão. As brasileiras vencedoras do prêmio são Karen Santos, CEO da UX para Minas Pretas, iniciativa que promove a equidade de mulheres negras no mercado de tecnologia com foco em formação em experiência do usuário (UX), na categoria que reconheceu mulheres com menos de 26 anos de idade. Na categoria game changer, que reconhece mulheres que não tenham formação nas áreas de exatas, ocupem uma posição de liderança e tenham gerado impacto na indústria de TI, a vencedora foi Mariana Vasconcelos, CEO da agtech Agrosmart e Forbes Under 30. Na categoria technology executive, que reconhece mulheres com formação na áreas de exatas, ou experiência profissional semelhante em posição de liderança em TI, a vencedora foi Vania Neves, head de inovação na GSK. O prêmio recebeu a inscrição de 162 profissionais e o voto de mais de 1.200 pessoas. Além do Brasil, a premiação aconteceu na Argentina, Estados Unidos, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguai e Índia, além da Europa como região.

Projeto brasileiro é reconhecido em concurso global da Nestlé

Um projeto cocriado por colaboradoras da Nestlé Brasil é um dos finalistas e vencedor de um desafio promovido por meio da plataforma global de inovação colaborativa Ingenius, com implantação prevista para 2021 no Brasil e na Suíça. O objetivo do desafio era avaliar, reconhecer e verificar o potencial de aplicabilidade de iniciativas para auxiliar na redução das emissões de gases do efeito estufa da empresa. A iniciativa brasileira selecionada propõe a criação de um “refeitório verde”, que atua na conscientização do impacto gerado pelas escolhas alimentares e desperdício de alimentos, ajudando as pessoas a adotarem hábitos alimentares mais sustentáveis, olhando para a pegada de carbono dos alimentos que consomem. Além do impacto ambiental positivo, a iniciativa estimula o desenvolvimento de competências de inovação nos colaboradores que participam. As finalistas deste ano são nutricionistas e nunca haviam tido contato com o universo empreendedor antes. Elas receberam uma capacitação completa, desde levantar a proposta de valor de um projeto até realizar um pitch vendedor para investidores.

Greentech América Latina divulga as empresas de tecnologias sustentáveis mais votadas em 2020

A segunda edição do Greentech América Latina, realizada de maneira totalmente virtual, revelou os 20 melhores cases de empresas de inovação sustentável de nove países da América Latina e Europa, que apresentaram seus modelos de negócios em pitches direcionados ao público. As duas mais votadas de cada tema do evento foram escolhidas pela audiência. Na categoria “Mercados de Carbono”, as mais votadas foram a Moss Earth, brasileira que atua na Amazônia, e a espanhola ClimeTrade, ambas focadas na venda de créditos de carbono. Já em “Cidades Sustentáveis”, as eleitas foram a VG Resíduos, brasileira de sistema de gestão de resíduos para grandes empresas, e a alemã de energia Solar Outdoor Media. No tema “Energias Renováveis”, a brasileira CleanClic, de gestão e economia da conta de energia, e a alemã MOWEA, de energia eólica, atraíram mais votos. Para a seleção de “New Greentech”, as escolhidas foram a brasileira Triciclo, programa de pontos pautado em reciclagem, e a sueca Mycorena, desenvolvedora de proteínas veganas. Todas as empresas que participaram ganharam desenvolvimento conjunto em inteligência artificial e blockchain para evolução dos negócios.

VEJA TAMBÉM: Fintech ambiental enviou R$ 55 mi para projetos na Amazônia nos últimos seis meses

****
IMPACTO SOCIAL

Agrotools e parceiros doam R$ 1 milhão em soluções digitais para empresas do agronegócio na Amazônia

A 1ª Conferência Itaú Amazônia – que aconteceu entre os dias 7 e 9 de dezembro – foi palco de uma grande conquista para a sustentabilidade: a doação de R$ 1 milhão em tecnologia e ciência de dados para munir de informações confiáveis frigoríficos, cerealistas, cooperativas e demais empresas de menor porte que compram produtos provenientes do agronegócio da Amazônia. A ação organizada pela Agrotools, grande representante em tecnologia ESG para o agronegócio, tem como foco ajudar as empresas que hoje se encontram em um “ponto cego” na floresta, sem condições técnicas para seguir as regras socioambientais e, consequentemente, sem grandes compradores como parceiros de negócios. “Nossa intenção não é excluir quem não está em compliance, mas identificar, entender o problema e endereçar uma solução. Além dos critérios de seleção que serão adotados pela Agrotools – com a participação do Itaú e de ferramentas de IA – as empresas interessadas em obter tecnologia também poderão se cadastrar para a pré-seleção em um hotsite que será disponibilizado por nós”, revela Sérgio Rocha, CEO da Agrotools.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).