Vendas no e-commerce devem alcançar R$ 110 bilhões em 2021, ATMs Bitcoin, ataques cibernéticos & Muito Mais

TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS

Financiamento da indústria de saúde digital atingiu US$ 21 bilhões em 2020

O financiamento total da indústria de saúde digital cresceu 55,39% de 2019 para 2020, indo de US$ 13,9 bilhões para US$ 21,6 bilhões, segundo a Trading Platforms UK. No contexto da pandemia da Covid-19, a tecnologia contribuiu para aproximar médicos e pacientes – apesar de distantes fisicamente, muitos deles receberam monitoramento médico remoto por meio das plataformas digitais de serviços de saúde.

A pesquisa cita alguns fatores que atuaram como catalisadores para o financiamento recorde em 2020. De acordo com o relatório, o setor testemunhou um influxo de investidores após receber o apoio de vários governos e organizações em todo o mundo. “A crise obrigou governos e hospitais a adotarem modelos como a telemedicina rapidamente. O endosso do governo aos produtos digitais de saúde funcionou como um impulso para o setor, já que a maioria dos investidores estavam confiantes em retornos positivos no futuro devido a um ambiente propício”, diz o levantamento.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

Precisamos identificar, no entanto, se no futuro o setor manterá os ganhos obtidos em meio à pandemia. A grande preocupação para os próximos anos é como o setor vai tratar os dados confidenciais dos pacientes e sustentar seus modelos de negócios, fatores que podem prejudicar o crescimento.

Bill Hinton/Getty Images

Organizações canadenses recorrem às VPNs para combater ataques cibernéticos

Em 2020, a Rede Privada Virtual (VPN), serviço que permite que os usuários se conectem à internet por meio de um túnel criptografado, garantindo a privacidade e protegendo dados confidenciais, tornou-se a ferramenta de segurança mais popular para combater o aumento das ameaças cibernéticas entre as organizações canadenses. No total, 59% das empresas localizadas no país implantaram VPNs no ano passado, segundo dados analisados pela equipe do Atlas VPN, aplicativo que garante a navegação privada alterando o endereço de IP e criptografando as conexões. 

O relatório revelou que, em 2020, 80% das organizações canadenses lidaram com pelo menos um ataque online, 28% foram alvos de ataques com o tema Covid-19 e 21% sofreram mais de uma dezena de invasões. No entanto, apenas cerca de um terço dos profissionais de segurança de TI em organizações canadenses disse que antecipou o crescimento dos recursos humanos dedicados à segurança cibernética.

Na lista de ferramentas para garantir a prevenção, a segunda mais comumente implantada, introduzida por metade das organizações canadenses em 2020, foi o firewall DNS. O gerenciador de senhas ocupava o terceiro lugar na lista e era utilizado por 46% das organizações. Os números são baseados no relatório “2020 CIRA Cybersecurity”, que apresenta dados de uma pesquisa com 500 profissionais de segurança de TI que trabalham em organizações canadenses. Das empresas pesquisadas, 64% indicaram fazer negócios apenas no Canadá. Do total, 65% são privadas e 35% são públicas ou sem fins lucrativos.

Vendas de social commerce alcançam US$ 363 bi na China em 2021, dez vezes mais do que os EUA

Embora o mercado de social commerce norte-americano esteja crescendo em ritmo acelerado, a China provavelmente não perderá sua posição de domínio no futuro próximo. Em 2020, as vendas totais dessa modalidade de negócios no país asiático foram de US$ 242,41 bilhões, e a expectativa é que, em 2021, cresçam 36%, atingindo a marca de US$ 363,26 bilhões – dez vezes mais do que nos Estados Unidos.

O número total de compradores sociais na China foi estimado em 357,2 milhões em 2020. A previsão é que esse número aumente para 392,2 milhões em 2021, 420 milhões em 2022 e 446,8 milhões em 2023. Esse desempenho é atribuído, principalmente, à cultura chinesa muito baseada em smartphones. A maioria dos compradores sociais faz suas aquisições por meio dos dispositivos móveis e a maioria das vitrines digitais começam em layouts móveis.

Com base em um estudo da WeForum, a China foi responsável por mais de 50% das vendas no varejo online de todo o mundo em 2020. A participação das operações online no setor como um todo no país passou de 20% em 2016 para 44,8% em 2020. Comparativamente, no Reino Unido esse índice foi de 27,7% e, nos Estados Unidos, de 14,7%.

Em 2021, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado eMarketer, 52,1% das vendas no varejo da China ocorrerão de maneira digital. Esta será a primeira vez que um país registra mais vendas online do que offline.

 Michael M. Santiago/GettyImages

Quantidade global de ATMs Bitcoin por pessoa aumenta 15 vezes em cinco anos

O número de ATMs Bitcoin em todo o mundo cresceu 129,48% nos últimos 12 meses, alcançando a marca de 15.511 em fevereiro de 2021, de acordo com o simulador de negociação de criptomoedas Crypto Parrot. No ano passado, o número total dessas máquinas era de 6.759, contra 4.284 em 2019 e  2.227 em 2018.

A pesquisa ofereceu, ainda, perspectivas sobre o crescimento de ATMs Bitcoin em todo o mundo. De acordo com ela, os dispositivos estão desempenhando um papel importante na adoção do ativo à medida que o setor de criptomoedas amadurece. Houve um grande aumento de novos investidores que adquiriram a moeda digital e os ATMs capitalizaram esse crescimento, uma vez que facilitam a operação. Com isso, as máquinas estão se tornando cada vez mais acessíveis para a maioria das pessoas, fortalecendo a tendência de que o setor pode desbloquear o potencial da população global desbancarizada.

Trend Micro revela aumento de 20% nos ataques cibernéticos em 2020

Com o crescimento do trabalho em regime de home office ao redor do mundo e a maior vulnerabilidade da infraestrutura tecnológica, a Trend Micro, especializada em soluções de cibersegurança, detectou 119 mil ameaças cibernéticas por minuto em 2020, de acordo com seu “Relatório Anual de Segurança Cibernética”. A pesquisa revela que as redes domésticas foram um dos principais alvo de cibercriminosos no ano passado, e que eles buscaram desestabilizar sistemas corporativos e infectar ou comprometer dispositivos IoT (internet das coisas) por meio de botnets. A companhia também constatou que os ataques aos equipamentos utilizados nas casas aumentaram 210%, chegando a quase 2,9 bilhões, ou 15,5% de todas as residências. A grande maioria (73%) dos ataques em redes domésticas foi de força bruta, no qual algum script automatizado tenta adivinhar o login e a senha para obter o controle de um roteador ou dispositivo inteligente. Já as ameaças por e-mail representaram 91% das 62,6 bilhões de ameaças bloqueadas pela Trend Micro em 2020, o que mostra que os ataques de phishing continuam extremamente populares. A empresa detectou cerca de 14 milhões de URLs de phishing únicos que visavam trabalhadores domésticos distraídos.

***

TENDÊNCIAS NACIONAIS

Vendas pelas redes sociais saltam 12% em 2020 no Brasil

As redes sociais estão assumindo um papel cada vez mais central nos negócios online. No último ano, esse tipo de compra saltou de 22% para 34%, apontou a 6ª edição do estudo “NuvemCommerce”, realizado pela Nuvemshop, plataforma de e-commerce que agrega mais de 70 mil lojas virtuais.

O Instagram tem se destacado pela importância na estratégia dos lojistas. Atualmente, a rede social corresponde a 87% das vendas totais de social commerce. Segundo o estudo, 57% dos empreendedores afirmam utilizar a ferramenta Instagram Shopping, enquanto a Loja do Facebook é utilizada por 46%. Embora outros canais de venda também tenham sido mencionados pelos comerciantes, 21,5% afirmaram que não usam nenhum outro canal além de sua própria loja virtual.

Entre os entrevistados, 96% utilizam o Instagram para divulgação da marca, 80% estão no Facebook e 71% não dispensam o WhatsApp, que apresentou aumento de 13% em relação ao ano anterior. O TikTok aparece pela primeira vez no levantamento, já utilizado por 15% dos lojistas. No quesito atendimento, o Whatsapp já é adotado por 95% dos entrevistados, consolidando-se como principal canal, seguido por Instagram (83,5%), e-mail (51%), Facebook (49,5%), telefone (42%), chat on-line (17%) e outros (5,5%).

De acordo com Alejandro Vázquez, cofundador e CCO da Nuvemshop, os números evidenciam a mudança do comportamento do consumidor durante a pandemia, uma vez que o e-commerce ganhou novos compradores. “Mais de 10 milhões de pessoas que nunca tinham usado a internet para fazer compras antes da pandemia incorporaram esse hábito em seu dia a dia. Além disso, quem já estava familiarizado com as compras online começou a encontrar itens diferentes. Isso fez com que a penetração do e-commerce no varejo dobrasse de 5% para 10% em menos de um ano. E é fato que as redes sociais funcionaram e continuam sendo a porta de entrada, ao facilitar o alcance do lojista ao seu consumidor.”

Internet por fibra ótica: setor cresce 70% nos últimos 12 meses

A internet por fibra óptica cresceu 70% entre novembro de 2019 e novembro de 2020, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Atualmente, são mais de 36 milhões de usuários no país, alta de 10% no comparativo anual. 

O crescimento reflete a demanda dos brasileiros por uma internet ainda mais rápida e de qualidade em um cenário em que, por causa da pandemia, o home office se tornou uma realidade para muita gente. Na disputa pela preferência dos usuários, as provedoras de pequeno porte (PPPs) foram as que mais se destacaram, inclusive sobre as empresas de maior porte como Vivo, Oi e Claro. Juntas, as PPPs ampliaram o acesso por fibra óptica em 73% no último ano e já atendem cerca de 70% dos brasileiros nessa modalidade.

“Temos atuado fortemente para ampliar nossa presença na região nordeste. Estamos presentes em mais de 200 cidades nos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Só em 2020, a empresa cresceu 80% em número de assinantes, chegando a 623 mil contratos”, conta o sócio-diretor comercial do Grupo Brisanet, Jordão Estevam. Para ele, a expectativa é de que a empresa, junto à rede de franquias Agility Telecom, que faz parte do grupo, amplie a cobertura para todos os nove estados do nordeste. “O nosso grande objetivo é conseguir entregar a excelência dos nossos serviços desde cidades afastadas dos grandes centros urbanos até capitais por toda a região”, completa.

E-commerce: Brasil sobe 10 posições em índice da Unctad

O Brasil subiu 10 posições e alcançou o 62º lugar no Índice Mundial de Comércio Eletrônico de 2020 da Unctad – Agência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento, que classifica 152 países pelo seu grau de preparação no comércio digital entre empresas e consumidores (B2C).

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entre abril e setembro de 2020 11,5 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra pela internet. A associação registrou, ainda, a criação de mais de 150 mil novas lojas online no período. Outro estudo, desta vez da Neotrust Compre&Confie em parceria com a ABComm, indicou que o número de transações no comércio eletrônico cresceu 80% entre janeiro e agosto de 2020.

Pesquisa realizada pela Ebit/Nielsen mostrou que as vendas no e-commerce devem crescer 26% e alcançar R$ 110 bilhões em 2021. De acordo com o estudo, o desempenho das vendas pela internet será impulsionado pelo crescimento do número de consumidores, consolidação dos e-commerces locais, fortalecimento dos marketplaces e logística mais ágil. O levantamento indicou que 95% das pessoas pretendem continuar fazendo compras online ao longo do ano.

“É uma tendência que veio para ficar. Estamos digitalizando muitos processos que antes eram totalmente físicos para garantir conforto ao consumidor. Muitos varejistas físicos adotaram o Whatsapp como canal de compra, digitalizando uma operação que seria física. Grande parte do varejo também permite que se faça a compra por marketplace ou Whatsapp e retire no drive-thru, o que também é confortável para o consumidor que quer retirar a compra de forma rápida”, explica Felipe Dellacqua, especialista em e-commerce e sócio da VTEX, multinacional que desenvolve plataformas de e-commerce.

***

O QUE MAIS ESTÁ ACONTECENDO NO ECOSSISTEMA

Startup brasileira de contabilidade inicia operações na Inglaterra

O Rupee, plataforma de tecnologia Kanban aplicada à contabilidade, tributário e folha de pagamento, segue com o seu plano de expansão global e inicia operações em Manchester, na Inglaterra. A abertura da filial acontece por meio de uma parceria com o governo local, que oferece suporte e ações de incentivo ao empreendedorismo no programa de tecnologia e desenvolvimento da agência de fomento de Manchester, a MIDAS. A startup considerou expandir as operações para Portugal e Israel, mas encontrou no mercado britânico mais apoio para empreender e desenvolver a empresa globalmente. “A parceria com o governo de Manchester nos dá a possibilidade de continuar revolucionando o mercado e representar o Brasil como berço de inovação em tecnologia, empreendedorismo e soluções para empresas”, comenta Guilherme Baumworcel, CEO e fundador da startup. Com sede no Rio de Janeiro, a empresa cresceu 335% em 2020, e caminha na contramão da crise econômica mundial. Para o plano de expansão global, inaugurou o próprio fundo de investimento, o Rupee Venture Capital Fund. Além de Manchester, fazem parte da rota de expansão global da empresa a Argentina, Estados Unidos, México, Canadá e Noruega. 

WeWork Brasil fornece espaços para startups de empreendedores negros

A WeWork, líder global em espaços de trabalhos flexíveis, lançou em dezembro de 2020 um programa para apoiar a comunidade negra ao oferecer, sem custo, escritórios privativos de até dez posições em uma de suas localidades no Brasil pelo período de um ano. Puderam participar empreendedores ou indivíduos que se autodeclaram negros e que tenham uma startup ou empresa, sediada no Brasil, de até dez colaboradores. Dentre as mais de 160 organizações brasileiras analisadas, 11 foram selecionadas para receber o benefício e já começaram a se mudar para os novos escritórios. Além das salas privativas e do acesso às mais de 850 unidades da WeWork no mundo, todas as empresas escolhidas também passam a integrar o WeWork Labs, programa no qual esses empreendedores serão capacitados por uma rede global de mentores e receberão apoio personalizado em conexões e geração de negócios. As selecionadas são Black Influence, Conta Black, DAC Comunicação, Agrisoft TI-Agro, Agência Bamba, Wolo TV, Troca, Insight Soluções Inteligentes, Ebony English, Unicainstancia e Afroya Tech Hub.

***

CRESCIMENTO

Divulgação

Legaltech brasileira cresce 260% e mira internacionalização

O netLex, plataforma tecnológica especializada na automatização e gestão de documentos, cresceu 260% em 2020 com sua solução para cuidar de todo o ciclo de vida dos contratos, incluindo criação, negociação, assinatura e gestão. A tecnologia permite configurar alertas automáticos a partir de dados contratuais, como prazos, valores e garantias, além de gerar dados e relatórios para monitoramento. “Ao abrangermos todo o fluxo contratual, garantimos maior agilidade e segurança jurídica. E, mais importante, permitimos que os dados extraídos automaticamente transformem os contratos em uma importante ferramenta estratégica”, explica Flávio Ribeiro, CEO da netLex. Assim, as empresas têm acesso a uma série de informações contratuais que antes não eram facilmente gerenciadas, como métricas de desempenho, avaliação de fornecedores, prazos contratuais e gestão de garantias. O netLex atende empresas como AB InBev, Localiza, MRV e ArcelorMittal. Em 2020, a legaltech iniciou suas operações no Reino Unido, Colômbia e México e hoje está disponível em 13 idiomas.

eNotas cresce 105% em 2020 impulsionada pelo empreendedorismo digital

A eNotas, solução do mercado que automatiza todo o fluxo de emissão de notas fiscais eletrônicas (NF-e) em qualquer lugar do Brasil, registrou crescimento de 105% no faturamento de 2020, impulsionado pela rápida expansão do empreendedorismo digital durante a pandemia. Com atendimento a empresas de diversos tamanhos e segmentos, a startup tem entre seus clientes Agilize, Liberty Seguros, Conta Azul, GetNinjas e Sankhya.  Só no ano passado, foram transacionados R$ 118 bilhões em notas. Segundo o CEO Christophe Trevisani, as perspectivas seguem positivas e a startup tem como meta crescer mais 80% neste ano. “Nós esperamos atingir 10 mil novas empresas”, diz o executivo.

Faturamento da BiomeHub cresce dez vezes

A BiomeHub, startup de biotecnologia catarinense, viu seu faturamento saltar para R$ 12 milhões em 2020 – valor dez vezes maior do que o registrado no ano anterior, quando começou a operar. A healthtech desenvolveu um método preciso e seguro de testagem em massa para a Covid-19, conhecido como testagem em pool, que agiliza e reduz custos com o procedimento. Desde o início da pandemia, a empresa já testou cerca de 100 mil pessoas, 30 mil delas só na capital Florianópolis, onde fica sua sede. Em 2021, a startup mira o mercado de soluções tecnológicas baseadas no microbioma humano, já que, no ano passado, registrou um aumento de 50% na demanda por estes serviços. Até o fim do primeiro semestre de 2021, a empresa pretende lançar um teste de microbioma cérvico-vaginal, atualmente em fase de validação. A BiomeHub também está de olho no mercado odontológico, para o qual lançará uma outra versão de seus produtos.

Nexoos ultrapassa R$ 460 milhões transacionados 

A Nexoos, fintech de crédito para pequenas e médias empresas (PMEs), repassou mais de R$ 200 milhões a mais de 2 mil estabelecimentos de todo o Brasil, totalizando cerca de R$ 460 milhões desde o início de suas operações, em 2016. A estimativa para 2021 é que o valor transacionado cresça 200%. O bom desempenho foi refletido também no faturamento da startup, 30% maior em comparação a 2019 e um dos melhores resultados de sua história. No mesmo período, a empresa também alcançou um aumento de 80% na base de clientes ativos, além de mais de 40% no número de empresas recorrentes, ou seja, aquelas que solicitaram crédito mais de uma vez por confiarem no modelo de negócio. 

***

ACELERAÇÃO

Gupy é a primeira HRTech brasileira do programa global de aceleração da Endeavor

A Gupy, startup especializada em recrutamento, seleção e admissão via inteligência artificial, é a primeira HRTech brasileira selecionada pela Endeavor no Painel Internacional de Seleção, que reúne empreendedores e mentores de cerca de 20 países do mundo para selecionar empresas para fazerem parte de uma rede de alto crescimento. A Gupy vai receber apoio da Endeavor por meio da conexão com uma rede de mentores e mentoras, formada pelas principais lideranças empresariais do país e do mundo. A última fase de seleção, e a mais importante durante o processo, é o ISP (International Selection Panel), uma avaliação profunda sobre a capacidade que o empreendedor possui de levar a empresa a um outro patamar, o negócio e o timing, que avalia a maturidade do modelo de negócio e se a empresa está em um ponto de inflexão para o crescimento.  “Passamos por esse processo e ficamos muito felizes com a aprovação desses critérios. Mais felizes ainda por sermos os únicos do setor a fazer parte dessa rede tão importante”, comemora a CEO Mariana Dias.

***

PRÊMIOS E RECONHECIMENTOS

Divulgação

Conheça as empreendedoras selecionadas pela DIVER.SSA e pelo Itaú Mulher Empreendedora 

O Itaú Mulher Empreendedora, programa para inspirar, conectar e acolher mulheres proprietárias de empresas, e a DIVER.SSA, iniciativa focada em fomentar o empreendedorismo feminino de impacto social, anunciaram neste mês os seis micronegócios finalistas selecionados para receber investimento semente de R$ 10 mil. O aporte contempla a prática financeira da metodologia da DIVER.SSA, que promove e estimula o acesso ao crédito para mulheres, uma vez que este público tem menor acesso aos mecanismos de crédito tradicionais do mercado. “Torna-se cada vez mais importante promover o empreendedorismo feminino no Brasil, principalmente quando as estatísticas nos indicam que as mulheres representam quase metade dos empreendedores no país”, afirma Luciana Nicola, superintendente de relações institucionais, sustentabilidade e negócios inclusivos do Itaú Unibanco. As selecionadas são: Morena Mariah (Afrofuturo, Rio de Janeiro), Solange Borges (Culinária de Terreiro, Bahia), Ercília de Souza (Ercília Arte Desana, Amazonas), Jéssica Santos (Zarina Moda Afro, Pernambuco), Julia Morais (Flor de Maio, Bahia) e Geysa Lopes (Furniture Pallet, Ceará). 

Prosperi está entre os principais fornecedores globais de gestão da inovação

A Prosperi, desenvolvedora da solução Teams Ideas, foi a única companhia latino-americana incluída no relatório “2020 Gartner’s Market Guide for Innovation Management Tools”, que analisa o setor da inovação mundialmente e indica tendências na gestão da inovação. Lançado no final de 2019, o aplicativo Teams Ideas é uma plataforma empresarial integrada ao Microsoft Teams e Office 365, que permite gerenciar todo o ciclo da inovação. Em menos de um ano, a ferramenta alcançou 116 países e passou a ser usada por mais de 5,4 mil empresas. A solução possui quatro módulos: Ideation (para lançamento de campanhas, colaboração e avaliação de projetos), Business Case (alinhamento dos processos a gestão de investimentos de capital), Portfolio Analysis (priorização e seleção de propostas, além de simulação de cenários para a tomada de decisão) e Projects (gerenciamento de tarefas, equipe e projetos). Também é possível acompanhar os resultados de cada etapa com indicadores e dashboards nativos ou no Microsoft Power BI. De acordo com o documento do Gartner, os fornecedores listados no Market Guide são os que alcançaram graus de visibilidade e tração no mercado. As ferramentas que oferecem suporte à otimização incluem localização de tendências, geração de ideias e avaliação contínua, além de possibilitarem a seleção de projetos com base no valor e risco do negócio. As soluções também podem gerenciar o ciclo completo do processo  de inovação, levando as ideias iniciais à sua realização final e, em seguida, ao desenvolvimento comercial.

Incognia ganha prêmio internacional de inovação 

A Incognia, empresa de identidade digital, venceu a categoria fintech do DEVIES Award 2021, iniciativa norte-americana que reconhece o trabalho de desenvolvedores e engenheiros dos Estados Unidos durante a Developer Week. A seleção, que conta com mais de 20 categorias, tem o objetivo de apresentar as ferramentas, produtos e soluções digitais que estão mudando o mundo. As empresas foram avaliadas por sua inovação técnica, adoção de sistema e recepção tanto na indústria de tecnologia quanto na comunidade de desenvolvedores. O reconhecimento da Incognia foi graças à funcionalidade do kit de desenvolvimento de software (SDK) como solução antifraude mobile, cuja integração ao sistema do aplicativo ou motor de risco pode ser realizada em minutos. A solução utiliza a tecnologia de biometria comportamental por localização para verificar a identidade dos usuários no onboarding, autenticar seu login e aprovar pagamentos em apps de bancos, fintechs e varejistas, prevenindo fraudes e facilitando a experiência de uso. Segundo Geoff Domoracki, CEO da DevNetwork, produtora da DeveloperWeek e da premiação, as ferramentas e soluções de desenvolvimento continuam ganhando espaço na indústria tecnológica global. “A Incognia é um grande exemplo da nova era de produtos e serviços que permitem aos programadores e engenheiros terem um maior impacto nos resultados e na eficiência global das empresas.”

***

IMPACTO SOCIAL

Instituto Butantan anuncia o lançamento do aplicativo Global Health Monitor

Nos próximos dias, o Instituto Butantan promete lançar, em Araraquara, no interior de São Paulo, o aplicativo Global Health Monitor, que faz, pelo celular, um monitoramento geográfico de exames e sintomas de quem entrou em contato com um paciente que testou positivo para a Covid-19, identificando a incidência do vírus na população. A tecnologia tem como objetivo identificar, mapear e isolar os casos positivos da doença, de forma anônima. O aplicativo foi desenvolvido pela startup brasileira homônima com a participação do time de infectologistas do Butantan, que validou uma parte do algoritmo do app. Para a ferramenta ter utilidade no controle da doença, a população precisa baixar o app e se cadastrar. “Tudo depende do input [alimentação de dados] dos moradores”, afirma Cláudia Ananina, gestora de tecnologia da informação do instituto. O GHM vai atender a população do monitoramento de sintomas individuais e de exposição ao vírus até o mapa de casos de Covid-19 em cada região, com atualização em tempo real. Ele também vai emitir alertas quando o usuário se aproximar de uma área de risco e organizar a carteira de vacinação digital. 

Divulgação

Repassa impede descarte de 97 toneladas de roupas em 2020

A Repassa, startup de moda circular e brechó online, fez um balanço para calcular o impacto ambiental e social da empresa em 2020. No total, a companhia evitou que 97,2 toneladas de roupas fossem descartadas em aterros sanitários, valor que equivale a mais de 8 mil malas cheias de peças. No ano passado, a startup vendeu mais de 250 mil peças e registrou um crescimento de 130% em comparação com 2019. No total, foram R$ 7 milhões repassados aos clientes e uma economia de R$ 17 milhões para quem comprou. Com isso, a empresa economizou mais de 525 milhões de litros de água, quantidade suficiente para matar a sede de 500 mil pessoas por um ano. A empresa também evitou que 680 toneladas de CO2 fossem emitidas, valor equivalente à absorção de 97 mil árvores ao longo de 12 meses. O Repassa Solidário e as vendas das peças da Sacola do Bem, embalagem desenvolvida pela startup para envio das roupas usadas, viabilizou a doação de R$ 611 mil, o triplo do que foi doado em 2019, e 117 mil peças não aprovadas pelo controle de qualidade da empresa foram entregues para projetos sociais parceiros.

***

TECNOLOGIA DO BEM

Aplicativo para comunidade autista está disponível para iOS

O aplicativo Rede Azul, que conecta a comunidade autista a serviços e oportunidades amigáveis para pessoas que estão no TEA (Transtorno do Espectro Autista), agora está disponível para usuários do sistema iOS de todo Brasil. Lançado em dezembro de 2019, na Google Play, o app foi liberado gradualmente, começando por municípios da região metropolitana de Campinas (RMC), interior de São Paulo. Atualmente, a plataforma soma indicações de profissionais e serviços de 20 estados, realizadas pelos mais de 1,5 mil usuários que contribuem com suas experiências na construção de um banco de dados gratuito e de fácil acesso. Como o objetivo é ser colaborativo, os usuários podem deixar indicações de locais ou serviços amigáveis para pessoas do TEA, chamados de Pontos Azuis, para que outros possam consultar, vivenciar e avaliar. Com esses dados, o aplicativo calcula uma média das nota para cada indicação. Ao todo, já são 267 indicações realizadas pelas pessoas que usam o app. Os Pontos Azuis se dividem em 19 categorias, entre elas, escolas, terapias, estética, igreja, esportes, turismo e Famílias do TEA, seção que pretende criar uma rede de apoio para cuidar de pessoas com o transtorno.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).