Buscas por cartões de criptomoeda aumentam 194%, carros da Tesla no Brasil, skin analyzer & Muito Mais

TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS

Buscas no Google por cartões de criptomoeda aumentam 194% em 12 meses

As buscas no Google pela palavra-chave “cartão de criptomoeda” aumentaram 194,1% nos últimos 12 meses, de acordo com a Crypto Parrot, plataforma de simulação de negociação social de criptomoeda.

O gigante de buscas analisa a popularidade das principais consultas em várias regiões. Um valor de 100 equivale ao pico de popularidade. Em fevereiro de 2020, a expressão registrou 34 pontos. Este ano, no mesmo período, o interesse pelo tema atingiu 100 pontos no ranking de popularidade de pesquisas.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

No que diz respeito aos países, a Nigéria lidera com uma pontuação máxima de 100. A Austrália ocupa o segundo lugar, com 45 pontos, à frente da Holanda, com 44, do Canadá, com 40, e dos Estados Unidos, com 39. O ranking inclui, ainda, o Reino Unido (36), Índia (15) e Alemanha (12).

O principal fator que contribuiu para o aumento do interesse em cartões de criptomoedas é o crescimento da adoção de ativos digitais. Segundo a pesquisa da Crypto Parrot, houve uma explosão de empresas como Visa e Mastercard se envolvendo em sistemas de pagamentos por meio destes cartões. “Ao mesmo tempo, um número cada vez maior de comerciantes está adicionando mais moedas digitais às opções de pagamento. É, portanto, lógico que as pessoas tenham interesse em adquirir esses dispositivos.”

the_burtons/Getty Images

O comércio eletrônico nunca foi tão popular

A pandemia da Covid-19 mudou significativamente o comportamento do consumidor. O interesse por aplicativos de compras alcançou o segundo lugar em popularidade, atrás apenas dos aplicativos de música, de acordo com dados globais da IMI International analisados pela equipe de aplicativos do HelpCenter.

As compras diárias também se tornaram um hábito para os consumidores de todas as idades, da Geração Z aos Boomers, mas a maioria das pessoas que compra online todos os dias é da Geração Y – 73%. Embora o comércio eletrônico tenha crescido gradualmente até o surto de coronavírus, a pandemia acelerou a mudança para o digital em cerca de cinco anos. Assim que a maioria dos países adotou restrições nacionais, o US Census Bureau relatou um crescimento da modalidade no varejo de 31,8% no segundo trimestre de 2020, e de 44,5% ano a ano nos Estados Unidos. Na União Europeia, o número de downloads de aplicativos de varejo aumentou 36% na comparação entre os três primeiros meses de 2019 e de 2020.

A análise feita pelo HelpCenter revelou, ainda, que para 2021 é esperado um crescimento ainda maior do comércio eletrônico, especialmente por meio de dispositivos móveis. Este ano, espera-se que as vendas de comércio eletrônico móvel representem 54% de todas as vendas de e-commerce de varejo, forçando as empresas a buscarem continuamente maneiras de fornecer a seus clientes uma experiência de compra única e construir conexões mais próximas com uma marca.

Divulgação/USPS

Correios dos EUA adotam veículos elétricos
O United States Postal Service (USPS), o correio norte-americano, assinou um contrato de US$ 483 milhões com a Oshkosh Defense, empresa especializada na construção de veículos militares, para produzir 165 mil vans em dez anos destinadas à entrega de correspondências e encomendas. Os novos veículos vão incorporar motores elétricos, obedecendo às diretrizes do governo do presidente Joe Biden, que pretende eletrificar toda a frota. Ainda em termos de tecnologia, as vans terão câmeras que darão ao motorista visão 360º ao redor do veículo, sensores para estacionamento, sistema anticolisão, controle de tração e ar-condicionado quente e frio. A novidade confirma a tendência de crescimento dos veículos elétricos nos Estados Unidos que, em 2021, deve dobrar de tamanho em relação a 2020, segundo a pesquisa Technology Trends That Will Shape 2021, da ABI Research.

***

TENDÊNCIAS NACIONAIS

Investimento em retailtechs triplica nos dois primeiros meses do ano

Com apenas três investimentos feitos em 2021, o valor aportado em retailtechs brasileiras, como são chamadas as startups que oferecem serviços para o varejo, já é mais que o triplo do total investido no mesmo período no ano passado, de acordo com o relatório Inside Retail, do Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da empresa de inovação aberta Distrito.

Os dados indicam que, até 19 de fevereiro de 2021, foram movimentados US$ 194,3 milhões. No mesmo período do ano anterior, o total era de US$ 56,9 milhões. “Somente nestes dois primeiros meses do ano, o volume de investimento já representa 26% do total investido no ano passado”, diz Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer. “Se continuarmos nesse ritmo, esperamos que o ano de 2021 supere 2020, tanto em volume de investimento como em número de aportes.”

O bom desempenho se deve, essencialmente, à mega rodada de investimento recebida pela MadeiraMadeira, de US$ 190 milhões, no começo de janeiro. A expectativa é que, até o final do ano, as retailtechs registrem recorde em investimentos, superando os US$ 711,1 milhões do ano passado.

Andriy Onufriyenko/getty

TI, software e inovação registram alta de contratações

O Sindicato da Indústria de Software e da Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Sindinfor) revelou os resultados da Pesquisa Salarial e de Práticas da Remuneração Variável, estudo realizado em dezembro de 2020 e atualizado em fevereiro de 2021. Foram avaliados todos os cargos importantes para o core business organizacional, salários e práticas de recursos humanos ao longo do ano passado.

De acordo com a pesquisa, mesmo com um ano marcado pelas dificuldades da pandemia, o setor de tecnologia da informação (TI), software e inovação segue uma trajetória de crescimento, fomentando investimentos, competitividade e criando postos de trabalho. Do universo pesquisado, o destaque foi o crescimento da força de trabalho, que registrou aumento de 2,9% em comparação a 2019. Em relação às práticas salariais, a média das remunerações foram de R$ 4.954 para analista desenvolvedor pleno; R$ 3.961 para devops pleno; R$ 3.127 para analista de sucesso do cliente pleno e R$ 7.371 para líder de projetos.

Segundo Fábio Veras de Souza, presidente da entidade, o setor de tecnologia oferece bom nível de remuneração, assim como outros setores que têm que valorizar seus talentos em cargos-chaves e especializados. “Os profissionais de destaque são reconhecidos e remunerados em bom nível. Dentre os profissionais mais procurados estão desenvolvedores, devops, profissionais de rede, suporte técnico, líder de projetos, arquitetos de software, scrum master e gestor de segurança”, detalha.

“O setor é um dos que mais cresceram no Brasil e no mundo no último ano e nossa expectativa é de que essa tendência permaneça em 2021. E contamos com profissionais qualificados para isso”, finaliza Veras.

***

O QUE MAIS ESTÁ ACONTECENDO NO ECOSSISTEMA

Geru e Rebel se juntam para criar a maior fintech de crédito do país

A Geru, fintech de empréstimos online, e a Rebel se juntaram para fundar a Open Co, que tem a missão de levar crédito justo para mais gente, acirrando a competição em um mercado ainda dominado pelos bancos tradicionais. Com a fusão, as marcas continuam existindo de forma independente e, juntas, consolidam a liderança no mercado de fintechs de crédito. Hoje, as startups de base tecnológica para o setor financeiro detêm cerca de 3% do mercado de crédito no país, e a Open Co terá, aproximadamente, metade disso. “Unindo as empresas, teremos acesso a capital mais barato, maior eficiência de custo e capacidade financeira para ocupar mais espaço no mercado. Queremos repassar esses benefícios para o cliente e tornar o acesso ao crédito algo tão universal quanto o acesso à internet”, diz Sandro Reiss, fundador da Open Co.

GnTech lança laboratório próprio

A GnTech, especializada em exames genéticos, inaugurou, no ano passado, um laboratório próprio. Com a novidade, a empresa ganhou mais autonomia, maior capacidade de desenvolver novos produtos e agilidade de entrega, uma vez que todas as operações serão realizadas na sede da empresa, em Florianópolis (SC). A medida também ajudou a reduzir os custos para os pacientes. A parceria entre a GnTech e o Hospital Albert Einstein continua, porém as operações serão realizadas exclusivamente no sul do país.

Carros da Tesla chegam ao Brasil em modelo de assinatura

Em parceria com a Osten Fleet, empresa do Osten Group, a Tesla, montadora de carros elétricos do bilionário Elon Musk, está disponibilizando seus modelos no Brasil por meio de serviços de assinatura. O grupo automotivo é o primeiro a importar os carros da marca e, para o lançamento da oferta, conta com uma pop-up store no CJ shop, novo shopping do grupo Cidade Jardim localizado em São Paulo, onde dois Model 3 Performance estão expostos. Os planos de assinatura estarão disponíveis em pacotes de um a quatro anos. Na loja, os interessados também poderão saber mais detalhes e até combinar o prazo de entrega dos Tesla Model 3, Y, S e X.

Megatelecom cresce durante a pandemia e planeja investir R$ 150 mi na aquisição de empresas

Com um investimento de até R$ 150 milhões, a Megatelecom, companhia que oferece serviços personalizados em soluções de tecnologia e telecomunicações B2B, pretende adquirir de cinco a dez provedores de internet de pequeno porte entre o primeiro e o segundo trimestres de 2021. “Estamos em processo de diligência. Nossa intenção é incorporar empresas, em São Paulo e no interior, que disponham de produtos que possam atender e agregar ao nosso portfólio, que já oferece soluções customizadas, de acordo com o que cada companhia precisa de fato”, explica o CEO da empresa, Carlos Eduardo Sedeh. Em 2020, a Megatelecom aumentou sua receita em 20% ao direcionar seus negócios ao fornecimento de soluções de TI, como PABX virtual, cloud, SD-WAN e serviços de consultoria. A oferta dos serviços deu tão certo que, nos trimestres posteriores, as soluções de TI representaram 60% das novas vendas da empresa, que atualmente conta com 1,2 mil clientes corporativos de médio e grande portes. Com as novas aquisições, a companhia passará a atuar também com a prestação de serviços a micro e pequenas empresas.

SOPA Images/Getty Images

iFood vai formar mais de 25 mil profissionais em tecnologia

O iFood anunciou publicamente o compromisso de impactar mais de 10 milhões de pessoas com oportunidades de educação, capacitação e formação. A empresa pretende democratizar o acesso à educação com fomento à tecnologia e ao empreendedorismo, priorizando os proprietários dos mais de 200 mil restaurantes cadastrados na plataforma, jovens das periferias de todo o país, entregadores e seus familiares. Mais de R$ 2 milhões já foram destinados ao projeto piloto, que contempla três frentes educacionais: formação de profissionais de tecnologia, capacitação para o empreendedorismo e trabalho do futuro e incentivo ao ensino digital por meio de tecnologia para a educação pública. Nos próximos cinco anos, as iniciativas do iFood devem impactar 5 milhões de estudantes e professores da rede pública de ensino e outros 5 milhões que terão oportunidade de se capacitar para o mercado de trabalho, além de oferecer capacitação em tecnologia para mais 25 mil pessoas da periferia. O objetivo é inserir milhares de pessoas no mercado de trabalho gerado pela nova economia digital e contribuir com o déficit de quase 300 mil profissionais da área estimado no país, segundo pesquisa realizada pela Brasscom em 2020.

Instituto Sigilo pede suspensão do Abastece Aí

O Instituto Brasileiro de Defesa da Proteção de Dados Pessoais, Compliance e Segurança da Informação Sigilo entrou com uma ação na 50ª Vara Cível do Estado do Rio de Janeiro para pedir a interrupção temporária das atividades do Abastece Aí, aplicativo do posto Ipiranga que oferece vantagens e descontos em compras nos postos de gasolina da marca. Na ação, a entidade afirma que, ao se cadastrar no aplicativo, automaticamente os consumidores teriam uma conta corrente aberta no banco BV (antigo Banco Votorantim), sem prévio consentimento ou autorização, e solicita que as atividades do aplicativo sejam suspensas temporariamente até a cessação do compartilhamento dos dados indevidamente, sob pena de multa diária de R$ 20 mil. Em conformidade com o artigo 42 da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), o Instituto também solicita que o Posto Ipiranga e o BV sejam condenados a indenizar em R$ 15 mil cada titular dos dados pelos danos morais, devido ao acesso e utilização indevida de suas informações.

Mary Kay apresenta aplicativo Skin Analyzer

A empresa de cosméticos Mary Kay desenvolveu um aplicativo exclusivo para suas consultoras de beleza independentes analisarem a pele de suas clientes de forma remota. Batizado de Skin Analyzer, a plataforma veio para complementar o atendimento das consultoras, que durante o isolamento social fizeram suas sessões de beleza de forma remota, por meio das redes sociais e plataformas digitais. O aplicativo ajuda a conhecer melhor a pele das mulheres, analisando-a em diferentes dimensões e oferecendo mais dados para a indicação dos produtos. Por meio de inteligência artificial, o app compara a foto fornecida pela cliente com um banco de dados de 500 mil imagens para realizar uma análise em seis dimensões: poros, rugas, acne, pigmentação, cravos e sensibilidade.

***

CRESCIMENTO

Appmax cresce 300% em 2020

A Appmax, empresa de tecnologia que oferece soluções de pagamentos para e-commerces e negócios digitais, multiplicou em oito o número de clientes e atingiu um crescimento de 300% no ano passado em comparação a 2019. Com inovações e serviços especializados para meios de pagamentos eletrônicos, a startup foca nos negócios digitais de produtos e infoprodutos. O destaque vai para o departamento de televendas, 100% humanizado, cujo foco é aumentar o faturamento dos clientes em até 50%. A estratégia da marca é evitar que o parceiro perca vendas, telefonando para o consumidor a fim de concluir as compras que não foram finalizadas. Dessa forma, a empresa consegue recuperar um terço das compras onlines abandonadas nos carrinhos, além de realizar vendas adicionais, ações que resultam também no aumento do tíquete médio em até 66%. “O boom de vendas online durante a pandemia foi um dos fatores determinantes para a alavancagem dos nossos números, e acreditamos que 2021 será ainda melhor. Nossa meta é dobrar os números em 2021”, afirma Betina Wecker, cofundadora e diretora de operações da Appmax.

Seedtag registra crescimento de 80% no Brasil em 2020
A seedtag, empresa espanhola de inteligência artificial contextual, vem conquistando clientes na América Latina e consolidando seu crescimento global com novas aquisições. Em 2020, a empresa registrou um aumento de 30% no número de clientes brasileiros, expandiu sua rede de publishers parceiros e aumentou seu faturamento em 80% no país e no mercado da região. Ao mesmo tempo, a adtech segue se consolidando no mercado europeu, e acaba de adquirir a Recognified, empresa alemã de visão computacional e publicidade contextual. Com a aquisição, a empresa expande sua presença internacional, que já conta com escritórios no Reino Unido, França, Espanha, Itália, Benelux, México, Brasil e Colômbia. “A América Latina, em especial o Brasil, são mercados muito relevantes para nós, com grande potencial de crescimento. Nesse período de incertezas, fortalecemos nosso time, criamos projetos com foco em nossos publishers e em nossos clientes”, comenta Daniel Freixo, vice-presidente para América Latina da seedtag. Para 2021, a expectativa da empresa é aumentar em 60% o faturamento no mercado latino-americano.

HRTech de offboarding cresce 50% em 2020 e projeta triplicar de tamanho em 2021
Especializada em tornar as demissões mais transparentes, humanas e ágeis, a Medei viu a demanda por seus serviços mais do que dobrar com a chegada da Covid-19 no Brasil. A plataforma realizou mais de 12 mil homologações no total em 2020, o que representou uma economia de 56 mil horas de trabalho em processos de demissão. Com faturamento de R$ 4,3 milhões no período, os números representam um crescimento de 50% em relação ao ano anterior. A expectativa para este ano é crescer mais 300%, chegando a R$ 11 milhões. No último ano, o número de clientes saltou para 35 e adicionou à carteira da empresa os bancos BMG e Mercantil e a empresa de saúde global Abbott Laboratories.

Holding RPX amplia seu escritório e contrata mais 180 funcionários

Devido a um aumento de 170% na demanda, a Holding RPX, que tem como objetivo servir de curadoria para empresas de inovação tecnológica em setores old age, teve um crescimento de 307% no último trimestre de 2020 e fechou o ano com 50% mais funcionários. “Em janeiro, iniciamos com o dobro de colaboradores do ano passado, um escritório maior e mais de 70 novas empresas abaixo da holding. Tenho certeza de que estamos caminhando para um marco na nossa história”, diz Rafael Pimenta, CEO da Holding RPX. Em 2021, a companhia prevê chegar a um faturamento de R$ 6 bilhões. A meta é investir em infraestrutura e mão de obra qualificada para obter um suporte mais personalizado aos clientes.

***

TECNOLOGIA DO BEM

Cardiologistas lançam aplicativo gratuito para monitorar a pressão arterial

Cardiologistas de diversas regiões do país se uniram para desenvolver o aplicativo AMPA (Automedida da Pressão Arterial), que tem o objetivo de monitorar a pressão arterial de pacientes hipertensos. Na plataforma, hospedada pela Beliva, as pessoas adicionam as informações das medições feitas com seu próprio aparelho e recebem relatórios das medidas obtidas. O aplicativo também permite uma avaliação remota entre o profissional e o paciente, para tornar mais eficaz o controle da hipertensão arterial. O serviço foi desenvolvido em Recife, no Porto Digital, e contou com o apoio da empresa japonesa de produtos para a saúde Omron Healthcare. “Por meio de produtos inovadores, conseguimos apoiar um serviço que é fundamental para a prevenção e avaliação da pressão arterial”, afirma Wanderley Cunha, CEO e presidente da Omron Healthcare Brasil. O aplicativo está disponível para iOS e Android.

NurPhoto/Getty Images

Lojas da C&A passam a ser abastecidas com energia solar

A C&A Brasil anunciou a construção de duas usinas solares no país em parceria com a Faro Energy, empresa que realiza investimentos em projetos de energia solar distribuída. Localizadas no Vale do Paraíba, no Rio de Janeiro, e na região administrativa de Brazlândia, no Distrito Federal, as usinas contarão com uma potência instalada de 2,5 MW. Por ano, as duas terão capacidade para gerar 5,5 GWh – energia suficiente para abastecer o equivalente a 2,8 mil residências no mesmo período. Com os novos recursos, a varejista evitará a emissão de 1,8 mil toneladas de CO2, montante equivalente ao plantio de 11 mil árvores ou menos 1 mil veículos, com média de 12 mil km rodados cada, circulando pelas estradas brasileiras. Em termos financeiros, a estimativa é uma economia potencial de cerca de R$ 20 milhões até o final do contrato. Com previsão de entrega no primeiro semestre de 2021, as usinas abastecerão, inicialmente, 11 lojas da marca no RJ e DF durante uma década.

Divulgação

Zoológico de Curitiba abre com tecnologia inovadora para conter aglomeração

Após quase um ano fechado por conta da pandemia da Covid-19, o Zoológico de Curitiba reabriu as portas em fevereiro. Para evitar a aglomeração dos mais de 1,5 mil visitantes permitidos simultaneamente, o local conta com câmeras de segurança que fazem a contagem de pessoas e dão sinal de alerta quando chega ao limite máximo de ocupação. A tecnologia, desenvolvida pela startup Vision Space, utiliza a internet das coisas (IoT) para interligar objetos comuns à web e transmitir dados. “A câmera traça uma linha virtual na entrada e quando o indivíduo passa pelo portão. Ao atingir capacidade de 80% da ocupação pré-definida, um alerta é enviado para a cabine da guarda municipal que, automaticamente, fecha as portas de entrada do estabelecimento e só reabre quando a taxa estiver em 50% de ocupação”, explica o diretor executivo da Vision Space, Christiano Belli. O intuito é que o sistema seja instalado na reabertura de outros parques e pontos turísticos da cidade, além de feiras livres.

Gupy torna plataforma acessível para pessoas com deficiências auditivas

A Gupy, plataforma de recrutamento, seleção e admissão via inteligência artificial, acaba de incorporar à sua plataforma um serviço gratuito de tradução da Língua Brasileira de Sinais (Libras), com a intenção de melhorar a acessibilidade de pessoas com deficiências auditivas ou surdez. Ao passar o cursor pelo conteúdo do site, ele será exibido em Libras. Para suporte, foi desenvolvida a tradutora virtual, batizada de Maya, disponível em todas as páginas do site e do blog da rhtech, assim como nas páginas de carreiras das empresas. Com o recurso, profissionais com deficiências auditivas poderão se candidatar às vagas publicadas pelas empresas, assim como realizar algumas etapas do processo de seleção.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).