Tradicional casa de leilão Phillips vende seu primeiro NFT por US$ 4,1 milhões

“REPLICATOR”, do canadense Mad Dog Jones, ficou disponível por duas semanas e teve lance mínimo de US$ 100

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

A imagem digital traz uma fotocopiadora alojada em um espaço de escritório no centro de Los Angeles

Acessibilidade


Após duas semanas de licitação, o NFT (Token Não Fungível ) “REPLICATOR”, de Mad Dog Jones, tornou-se  oficialmente o primeiro a ser comercializado pela tradicional casa de leilões Phillips. Com um lance inicial de US$ 100, o trabalho foi criado com a capacidade de gerar novos NFTs exclusivos a cada 28 dias. Os lances dispararam para US$ 2,4 milhões nas primeiras 24 horas e, nos últimos cinco minutos, atingiu US$ 4,1 milhões. Como resultado, o “REPLICATOR” também é o maior valor já alcançado por um artista canadense vivo.

A operação contou com a participação de colecionadores da América do Norte, Europa, Ásia, Oriente Médio e Austrália. No final, 16 licitantes estavam no páreo. O vencedor preferiu continuar anônimo.

LEIA MAIS: Os 10 NFTs mais caros da história

“Estou impressionado com a resposta que o ‘REPLICATOR’ gerou”, disse Mad Dog Jones ao ver seu trabalho ressoando entre pessoas de todas as origens, que expressaram seu entusiasmo sobre o conceito, a tecnologia e as imagens. “Sou muito grato a todos pelo apoio neste empolgante empreendimento. O REPLICATOR está apenas começando e mal posso esperar para ver a jornada que levará a partir daqui.”

A imagem digital traz uma fotocopiadora alojada em um espaço de escritório no centro de Los Angeles, como uma lembrança nostálgica de uma tecnologia que já foi de ponta e agora caminha para a obsolescência. “É uma reflexão sobre as formas de inovação revolucionárias do passado e serve como uma metáfora para o contínuo processo de desenvolvimento da tecnologia moderna”, explica o artista.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A obra utiliza a mecânica do contrato inteligente embutido no NFT para criar uma peça Genesis autogerada que continuará a criar NFTs novos e discretos ao longo de, aproximadamente, um ano. A primeira geração, que acabou de ser vendida, produzirá um novo NFT por mês nos próximos seis meses. Cada geração subsequente produzirá uma arte a menos do que a anterior, até atingir a última geração, que não produzirá novos NFTs.

Rebekah Bowling, especialista sênior em arte do século 20 e contemporânea da Phillips, diz que o entusiasmo pela arte inovadora de Mad Dog Jones cimentou a reputação do artista como alguém que continua a ultrapassar os limites das expectativas da arte digital. “Ficamos muito satisfeitos em ver o apoio de colecionadores tradicionais de arte física, bem como daqueles ativos na comunidade de criptografia, com REPLICATOR ajudando a preencher a lacuna entre os dois.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: