Amazon e Apple abrem mão de cobrar extra por streaming de música de alta qualidade

Os arquivos lossless são capazes de preservar todos os detalhes do arquivo de áudio original sem comprimir a qualidade durante a transmissão.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Krisanapong Detraphiphat/Getty
Krisanapong Detraphiphat/Getty

Diferente do serviço de streaming Tidal, Amazon e Apple não cobrarão valores extra para usuários que desejarem ouvir música em qualidade hi-fi

Acessibilidade


Amazon e Apple permitirão que os usuários transmitam áudio de alta qualidade sem nenhum custo extra, enquanto exploram novas maneiras de manter os assinantes sintonizados em seus serviços em meio à intensa competição.

Hoje (17), a Amazon Music, que até agora cobrava um prêmio pela transmissão de áudio de qualidade maior, se tornou o primeiro grande serviço de música a atualizar seus assinantes para o formato.

LEIA TAMBÉM: França aprova licenciamento de serviços de Google e Microsoft para proteção de dados

A decisão envolve o formato chamado “lossless”, de qualidade superior e que preserva todos os detalhes do arquivo de áudio original sem comprimir a qualidade durante a transmissão.

O serviço de streaming Tidal, do rapper americano Jay-Z, foi um dos primeiros a lançar a tecnologia, cobrando US$ 19,99 por mês.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já o serviço “lossless” da Amazon Music Unlimited custará US$ 9,99 por mês. Separadamente, a Apple disse que os assinantes poderão ouvir todo o seu catálogo de mais de 75 milhões de músicas no próximo mês no formato lossless, sem custo adicional. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: