Ataque cibernético fecha operação de carnes da JBS na Austrália

O portal Beefcentral não sabe dizer se o ocorrido parou as operações do maior frigorífico do mundo em outros países.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Bill Hinton/Getty
Bill Hinton/Getty

O portal Beefcentral não sabe dizer se o ataque cibernético parou as operações do maior frigorífico do mundo em outros países

Acessibilidade


A maior indústria de carnes da Austrália, uma unidade da brasileira JBS, foi atingida no fim de semana por um grande ataque cibernético sobre seus sistemas de informação, de acordo com o site de notícias do setor Beefcentral, que citou o presidente da empresa no país.

O ataque interrompeu operações em toda a Austrália, disse o CEO da JBS Austrália, Brent Eastwood, ao portal no domingo. Na ocasião, ele não soube dizer quanto tempo duraria a paralisação, de acordo com o site de notícias. Mas as operações de processamento seriam impossíveis sem o acesso normal a sistemas de TI e internet, disse o site. Os negócios da Primo Smallgoods, da JBS no Estado de Queensland, também foram impactados.

LEIA TAMBÉM: Programa de Seguro Rural conta com R$ 693 milhões liberados

Segundo comunicado publicado pela JBS no final da tarde de hoje (31), foram tomadas ações imediatas após o ataque, com a suspensão de todos os sistemas afetados, a notificação de autoridades e a ativação da rede global de profissionais de TI da companhia, além de especialistas externos, para resolução do problema.

A empresa disse que seus servidores de “backup” não foram afetados pelo incidente, acrescentando que trabalha para restaurar os sistemas o mais rápido possível.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“No momento, a JBS não tem qualquer evidência de que quaisquer dados de clientes, fornecedores ou funcionários tenham sido comprometidos ou mal utilizados como resultado da situação”, afirmou a processadora de alimentos.

“A resolução do incidente levará tempo, o que pode atrasar certas transações com clientes e fornecedores.” (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: