Com mais US$ 120 milhões em caixa, QuintoAndar quer expansão “natural e gradual”

O cofundador e CEO da proptech, Gabriel Braga, prega paciência ante um crescimento desenfreado nas operações .

Matheus Riga
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

O QuintoAndar, fundada por Gabriel Braga (à esq.) e André Penha (à dir.), possui mais de R$ 50 bilhões em ativos sob gestão

Acessibilidade


O QuintoAndar, plataforma de compra, venda e aluguel de imóveis adicionou mais gasolina no seu tanque: a proptech anunciou ontem (18) uma extensão de US$ 120 milhões para a sua rodada Série E, realizada em maio deste ano e responsável por captar US$ 300 milhões em financiamento. O novo investimento é liderado pelo fundo norte-americano Greenoaks e pela empresa chinesa de tecnologia Tencent, elevando o valor de mercado da companhia para US$ 5,1 bilhões.

O novo quadro de investidores da imobiliária digital – que já contava com outros fundos do ecossistema de inovação, como Softbank, Ribbit Capital e General Atlantic – deve impulsionar a expansão da companhia para mais cidades brasileiras, assim como a empreitada internacional da empresa no México. “Embora não estivéssemos precisando do dinheiro, nós gostamos muito do que Greenoaks e Tencent podem agregar para o QuintoAndar”, avalia o cofundador e CEO, Gabriel Braga, em entrevista à Forbes.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

“A Greenoaks investe em empresas de tecnologia do mundo inteiro sempre com um viés de longo prazo, firmando parcerias com companhias de culturas consolidadas e que estão desbravando mercados, e isso está alinhado ao que acreditamos”, afirma o executivo, complementando que “a Tencent traz uma aproximação como ecossistema de negócios da China, que possui problemas de habitação parecidos com o Brasil, o que pode servir de inspiração e troca de experiências para a gente.”

O sócio da Greenoaks, Neil Shah, avalia que o QuintoAndar tem feito um trabalho interessante de levar transparência ao processo de transações imobiliárias, simplificando a experiência para proprietários e pessoas físicas. “Estamos bastante impressionados com o progresso deles até aqui”, afirma. “Com o tempo, vemos que eles têm potencial para transformar o mercado imobiliário em toda a América Latina, criando o melhor marketplace da região. Queremos ser parceiros deles por várias décadas.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

EXPANSÃO NATURAL

Sobre a estratégia de expansão para o mercado latino-americano, Braga valoriza a paciência e o crescimento gradual. “Nosso foco total está no plano de expansão para o México, que está avançando internamente, mas não tem uma data prevista de lançamento”, diz. “A ida para outros países [além do México] seria uma segunda etapa, mas queremos pensar nisso com calma depois”, avalia.

A segunda dose de recursos financeiros deve intensificar também o processo de expansão da companhia no mercado doméstico. Atualmente, a plataforma está presente em mais de 40 municípios brasileiros. “Estamos crescendo nacionalmente, mas o nosso foco principal é aumentar a participação de mercado nessas cidades onde atuamos”, diz Braga. “Existem vários locais aonde queremos chegar, mas queremos fazer isso de maneira natural e gradual.” Em 2020, a proptech adicionou mais 14 novos municípios para a sua operação, marcando presença na região Norte, Nordeste e Sul.

MERCADO EM ASCENSÃO

Os números mais recentes divulgados pelo QuintoAndar mostram a companhia com mais de 120 mil contratos sob gestão, 60 mil moradias à venda em sua plataforma e R$ 50 bilhões em ativos sob administração. No segmento de locação, a empresa tem um ritmo de crescimento de mais de 10 mil novos aluguéis por mês adicionados à sua carteira de imóveis. O setor de compra e venda, no qual a proptech ingressou no ano passado, realizou mais de 10 mil transações em 2020 nas quatro principais regiões metropolitanas do país.

A companhia faz parte de um ecossistema em ascensão para as proptechs e que recebe cada vez mais atenção de investidores nacionais e estrangeiros. Segundo o relatório “Inside Venture Capital”, desenvolvido pela empresa de inovação aberta Distrito, as startups brasileiras que atuam no mercado imobiliário já receberam US$ 851,4 milhões em 14 aportes só este ano. O segmento é o segundo que mais recebeu capital em 2021.

Assim como o QuintoAndar, as plataformas concorrentes Loft, EmCasa e Yuca também capitalizaram este ano. Para Braga, o “boomdas proptechs é algo natural do mercado, que tem se reinventado a cada ano, e um estímulo para não se deixar levar pelo crescimento já alcançado. “Isso nos faz continuar inovando e avançando. Nossa ambição é seguir sendo pioneiros, desbravadores do que acontece nesse mercado”, afirma.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: