The Cloud 100: as melhores e mais valiosas empresas privadas na nuvem

Juntas, as integrantes da lista possuem valor de mercado de US$ 514 bilhões, quase o dobro de um ano atrás.

David Jeans, Aayushi Pratap, Rashi Shrivastava, Becca Szkutak e Nina Wolpow
Compartilhe esta publicação:
 metamorworks/Getty Images
metamorworks/Getty Images

Juntas, as integrantes da lista The Cloud 100 possuem valor de mercado de US$ 514 bilhões, quase o dobro de um ano atrás

Acessibilidade


A sexta edição da lista The Cloud 100, que reúne as principais empresas privadas do mundo na nuvem, produzida em parceria com a Bessemer Venture Partners e a Salesforce Ventures, reconhece os destaques na categoria, de pequenas startups a gigantes apoiadas por capital privado. As empresas da nova lista, que vêm de lugares distantes como Dublin, na Irlanda, e Bangalore, na Índia, foram selecionadas com base em fatores como crescimento, vendas, avaliação e cultura, além de uma pontuação de reputação obtida em consulta com 34 juízes – CEOs e executivos de seus pares em empresas públicas.

O ano foi recheado de grandes números. A Stripe, de volta ao topo da lista após um hiato de um ano, é a startup de maior valor nos Estados Unidos: US$ 95 bilhões. A segunda colocada, a Databricks, está avaliada em US$ 28 bilhões, o que a colocaria na metade do índice S&P 500 se fosse pública. Combinadas, as 10 maiores empresas privadas na nuvem valem espantosos US$ 190 bilhões. Isso inclui a plataforma de open banking Plaid, no sexto lugar, que retorna à lista depois que sua aquisição planejada pela Visa caiu em janeiro, e a sétima colocada, a Figma, o mais novo lançamento de software de design, que sobe 22 posições depois de uma recente avaliação de quase US$ 10 bilhões.

LEIA TAMBÉM: Google diz que vai restringir publicidade dirigida para menores de 18 anos

Do ano passado para cá, 17 empresas da lista tornaram-se públicas, enquanto 29 recém-chegadas integram a nova edição.

Embora a lista seja diversificada geograficamente, com 12 empresas sediadas fora dos EUA e outras fundadas internacionalmente, menos progresso foi feito na diversidade de liderança. Apenas seis empresas da Cloud 100 são dirigidas por mulheres, como Melanie Perkins no Canva.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Veja, na galeria de fotos a seguir, o top 10 da empresas privadas na nuvem:

  • 1. Stripe

    Ano de fundação: 2009
    Valor de mercado:US$ 95 bilhões
    Setor: software de pagamentos
    Financiamentos: US$ 2,2 bilhões da Sequoia, Andreessen Horowitz, Tiger Global e outros
    Estimativa de receita anual: mais de US$ 1 bilhão
    Localização: Dublin (Irlanda) e São Francisco (EUA)
    Funcionários: 4.000
    Fundadores: Patrick Collison (CEO) e John Collison
    Seu software permite que as empresas, de pequenas startups a Amazon e Zoom aceitem pagamentos online em mais de 100 países. Na era da Covid 2020, a companhia cresceu mais de 50%, segundo estimativas da MuffetNathanson. Anunciou, recentemente, novos recursos de banking as a service por meio dos quais os clientes da Stripe podem deixar seus próprios clientes administrarem o dinheiro, efetuar pagamentos e ganhar juros.

    SOPA Images/Getty Images
  • 2. Databricks

    Ano de fundação: 2013
    Valor de mercado: US$ 28 bilhões
    Setor: plataforma de dados focada em IA
    Financiamentos: US$ 1,89 bilhão
    Estimativa de receita anual: US$ 250 milhões
    Localização: São Francisco (EUA)
    Funcionários: 2.300
    CEO: Arsalan Tavakoli, Ion Stoica, Andy Konwinski, Reynold Xin e Patrick Wendell, Ali Ghodsi (CEO) e Matei Zaharia

    Sob o comando do CEO Ali Ghodsi, a Databricks alcançou um patamar elevado de crescimento, quando comparado ao ex-CEO e cofundador Ion Stoica, que saiu do cargo em novembro de 2015. Com Ghodsi no comando, a startup cresceu 110 vezes em valor de mercado e chegou a uma receita estimada de US$ 250 milhões em 2020. Hoje, a companhia tem mais de 5.000 clientes utilizando o seu software, que conecta bancos de dados internos de corporações e, por meio de inteligência artificial (IA), realiza análises preditivas sobre o negócio.

    SOPA Images/Getty Images
  • 3. Canva

    Ano de fundação: 2012
    Valor de mercado: US$ 15 bilhões
    Setor: software de design
    Financiamentos: US$ 360 milhões
    Estimativa de receita anual: US$ 500 milhões
    Localização: Sydney (Austrália)
    Funcionários: 1.700
    Fundadores: Melanie Perkins (CEO), Cliff Obrecht (COO) e Cameron Adams

    A empreendedora australiana Melanie e o cofundador e COO Cliff Obrecht tiveram um ano notável. Eles se casaram em janeiro e, três meses depois, a empresa fundada em 2012 em Perth levantou US$ 71 milhões em financiamento, elevando sua avaliação para US$ 15 bilhões – o suficiente para fazer dos dois novos bilionários, com patrimônio de cerca de US$ 2 bilhões cada. Atualmente, 55 milhões de clientes – 3 milhões deles pagantes – usam as ferramentas, entre eles, Airlines American, Kimberly-Clark e Salesforce.

    Divulgação
  • 4. HashiCorp

    Ano de fundação:2012
    Valor de mercado: US$ 5,1 bilhões
    Setor: automação de infraestrutura
    Financiamentos: US$ 349 milhões
    Estimativa de receita anual: não divulgado
    Localização: São Francisco (EUA)
    Funcionários: 1.500
    Fundadores: David McJannet

    Fundada em 2012, a HashiCorp é uma companhia de tecnologia que oferece plataformas para que corporações possam automatizar sua infraestrutura de tecnologia na nuvem. Os seus principais produtos, Terraform, Consul e Vault, possuem aplicações para estruturação de sistemas, cibersegurança e conectividade, respectivamente. Conta, atualmente, com 2.000 clientes em 14 países.

    Divulgação
  • 5. Toast
    Ano de fundação: 2012
    Valor de mercado:US$ 8 bilhões
    Setor: software para restaurantes
    Financiamentos: US$ 896 milhões da TCV, Tiger Global Management, Bessemer Venture Partners e outros
    Estimativa de receita anual: não revelado
    Localização: Boston (EUA)
    Funcionários: 2.000
    Cofundadores: Aman Narang, Steve Fredette e Jonathan Grimm (CTO)
    CEO: Chris Share

    Os softwares da empresa para restaurantes gerenciam pagamentos, reservas, pedidos online, processamento de folha de pagamento e programas de fidelidade. A companhia disponibilizou empréstimos de US$ 250 mil para pequenas empresas em 2019. Processa dezenas de bilhões de dólares por ano para restaurantes como B.Bood, uma rede de saladas e hambúrgueres com cerca de uma centena de lojas.

    Divulgação
  • 6. Plaid
    Ano de fundação:2013
    Valor de mercado: US$ 1,3 bilhão
    Setor: plataforma de open banking
    Financiamentos: US$ 734 milhões de Kleiner Perkins, Andreessen Horowitz, NEA e outros
    Estimativa de receita anual: US$ 170 milhões
    Localização: São Francisco (EUA)
    Funcionários:828
    Cofundadores: Zach Perret (CEO) e o ex-CTO William Hockey

    Sua tecnologia ajuda apps de fintechs, como Robinhood, Coinbase e Venmo, a se conectarem às contas bancárias dos clientes, levando os consumidores fazem depósitos e pagamentos. No início de 2021, a Plaid anunciou novos recursos, fazendo com que os consumidores trocassem, facilmente, seus bancos de depósito direto e permitindo que os credores confirmem rapidamente a renda dos mutuários e avaliem o risco. Possui, atualmente, mais de 4.500 clientes.

    SOPA Images/Getty Images
  • 7. Figma
    Ano de fundação: 2012
    Valor de mercado:US$ 9,8 bilhões
    Setor: software de design
    Financiamentos: US$ 333 milhões
    Estimativa de receita anual: US$ 75 milhões
    Localização: São Francisco (EUA)
    Funcionários: 389
    Cofundador e CEO: Dylan Field

    O software de colaboração e prototipação em design da Figma é utilizado por uma série de empresas, como Airbnb, BMW e Zoom, para o desenho de novos produtos digitais. A empresa tem expectativa de dobrar sua receita em 2021, saindo dos US$ 75 milhões registrados no ano passado para US$ 150 milhões neste ano.

    Divulgação
  • 8. SeviceTitan
    Ano de fundação: 2013
    Valor de mercado: US$ 9,5 bilhões
    Setor:softwares para construtores
    Financiamentos:US$ 1,09 bilhão da Tiger Global e Sequóia
    Estimativa de receita anual: US$ 250 milhões
    Localização: Glendale (EUA)
    Funcionários: 1.600
    Cofundadores: Ara Mahdessian (CEO) e Vahe Kuzoyan

    Mahdessian e Kuzoyan, que se conheceram durante uma viagem de esqui para estudantes universitários armênios, construíram a empresa originalmente para ajudar seus pais, ambos empreiteiros, a conduzirem melhor seus negócios. Hoje, a ferramenta da desenvolvedora é usada por mais de 7.500 clientes que trabalham com serviços de climatização, encanamento, elétrica e outros.

    Divulgação
  • 9. Checkout.com
    Ano de fundação: 2012
    Valor de mercado: US$ 15 bilhões
    Setor: plataforma de pagamentos
    Financiamentos: US$ 830 milhões
    Estimativa de receita anual: não revelado
    Localização: Londres (Inglaterra)
    Funcionários: 1.400
    CEO:Guilaume Pousaz

    Por meio de tecnologia e a construção de APIs, a fintech Checkout.com oferece uma solução que conecta grandes bancos com lojas virtuais, funcionando tanto como processadora das transações, quanto como adquirente. Pizza Hut, L’Occitane, Samsung e Swarovski são algumas das corporações que utilizam sua plataforma. Com mais de 940 funcionários em 17 escritórios pelo mundo, a companhia de Londres, no Reino Unido, alcançou um valor de mercado de US$ 15 bilhões depois de receber um aporte de US$ 450 milhões na sua série C.

    Divulgação
  • 10. Freshworks
    Ano de fundação: 2010
    Valor de mercado: US$ 3,5 bilhões
    Setor: engajamento do cliente
    Financiamentos: US$ 326 milhões
    Estimativa de receita anual: US$ 300 milhões
    Localização: San Mateo (EUA)
    Funcionários: 4.100
    CEO: Girish Mathrubootham

    A plataforma de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente, em português) permite que empresas integrem canais de comunicação internos e externos em um único local. Com mais de 40 mil clientes no mundo, a companhia teve receita recorrente anualizada de US$ 300 milhões em 2020, um crescimento de 40% perante o ano de 2019. Em sua última rodada de investimento, em janeiro do ano passado, captou US$ 85 milhões e complementou sua série H de US$ 150 milhões.

    Divulgação

1. Stripe

Ano de fundação: 2009
Valor de mercado:US$ 95 bilhões
Setor: software de pagamentos
Financiamentos: US$ 2,2 bilhões da Sequoia, Andreessen Horowitz, Tiger Global e outros
Estimativa de receita anual: mais de US$ 1 bilhão
Localização: Dublin (Irlanda) e São Francisco (EUA)
Funcionários: 4.000
Fundadores: Patrick Collison (CEO) e John Collison
Seu software permite que as empresas, de pequenas startups a Amazon e Zoom aceitem pagamentos online em mais de 100 países. Na era da Covid 2020, a companhia cresceu mais de 50%, segundo estimativas da MuffetNathanson. Anunciou, recentemente, novos recursos de banking as a service por meio dos quais os clientes da Stripe podem deixar seus próprios clientes administrarem o dinheiro, efetuar pagamentos e ganhar juros.

 

 

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: