CEO do SoftBank diz que robôs inteligentes podem revitalizar crescimento e competitividade do Japão

Kim Kyung-Hoon/Reuters
Kim Kyung-Hoon/Reuters

CEO do SoftBank, Masayoshi Son, em entrevista em Tóquio

O presidente-executivo do SoftBank Group Corp, Masayoshi Son, disse hoje (15) que os chamados robôs inteligentes podem revitalizar a economia e a competitividade do Japão, apostando na robótica em um momento em que a empresa se prepara para retirar o robô “Pepper” de ação.

Son, na conferência online SoftBank World 2021, disse que o Vision Fund da empresa está envolvido com 18 companhias que desenvolvem máquinas aprimoradas com inteligência artificial, muito além das capacidades de dança e saudação do simpático Pepper.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Tivemos um evento de estreia grandioso com o Pepper há vários anos, agora ele está baixando a cabeça”, disse Son, em frente à projeção de um Pepper caído e desligado.

O fundador do SoftBank agora vê um futuro com “robôs inteligentes que substituirão não apenas a trabalhadores do setor manufatureiro e industrial, mas toda a população trabalhadora”.

Son embalou seu discurso de abertura com vídeos de robôs humanóides correndo e pulando, bem como máquinas em forma de lata limpando pisos.

No entanto, ele não ofereceu detalhes sobre novos investimentos ou preços de mercado de qualquer um dos dispositivos, nem mencionou a pausa de investimento da SoftBank na China, onde os reguladores aumentaram drasticamente o controle sobre as empresas de tecnologia.

Em junho, o SoftBank vendeu 80% da Boston Dynamics, fabricante do robô “Spot”, semelhante a um cachorro, para o Hyundai Motor Group da Coreia do Sul por US$ 1,1 bilhão. Um mês depois, a Reuters informou que as vendas do Pepper, reveladas por Son com muito alarde em 2014, terminarão em 2023.

Son, hoje, disse que o SoftBank continua sendo parceira colaboradora da Boston Dynamics, e que de Pepper virá uma geração de robôs inteligentes mais funcionais – ou o que ele chamou de “smabo”, uma contração de “inteligente” e “robô” em japonês.

Essas máquinas terão o potencial de revolucionar a força de trabalho, já que um robô inteligente pode fazer 10 vezes a produção diária de um ser humano, disse Son. No Japão, isso significa que 100 milhões de robôs podem fazer o trabalho de 1 bilhão de pessoas, acrescentou.

“Os humanos podem ser libertados de um trabalho entendiante”, disse ele. “(Eles) podem trabalhar em algo que tenha mais valor agregado.” (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).