Musitech brasileira conecta artistas aos principais investidores do setor

Flávio Ferrarese Jr
Flávio Ferrarese Jr

Criada por Fernando Gabriel (esquerda) e Thiago Lobão (direita), a strm traz informações valiosas para quem quer antecipar os próximos músicos a bombar

Uma startup que usa inteligência artificial para unir artistas com potencial de ascensão a investidores interessados no retorno financeiro que seu sucesso pode gerar. A strm (lê-se stream) interpreta o trabalho de músicos com base em quatro ativos: shows, execuções digitais, direitos autorais da obra e da imagem – e repassa essa interpretação a gravadoras, produtores e escritórios de gestão de carreira, por exemplo, que podem faturar investindo na carreiras desses profissionais. “A ideia é diminuir a desconfiança dos investidores que se interessam pelo universo fonográfico e permitir que encontrem o momento certo de apostar no mercado”, diz Fernando Gabriel, CEO e cofundador da strm, com sede em São Paulo, ao lado do gestor de investimentos Thiago Lobão.

A startup traz informações valiosas para quem quer antecipar os próximos músicos a bombar nas plataformas de streaming, lives e palcos. O usuário pode filtrar cantores brasileiros de pop ou duplas sertanejas famosas, por exemplo. Instantaneamente, a ferramenta cria rankings por audiência crossmedia (streaming de música, Instagram e YouTube) e velocidade de crescimento, entre outros aspectos. Traz também informações sobre o estágio profissional de cada um, força da imagem, pontos fracos e nível de risco do investimento.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

Para fazer parte desse portfólio, o músico se inscreve e indica seus canais de YouTube, Spotify e Instagram. “A partir daí, o algoritmo monitora os dados públicos e é capaz de informar o estágio de carreira do cantor, o quanto já evoluiu, seus desafios e o que pode fazer para superá-los”, diz Gabriel. Esse cadastro deve ser aberto no primeiro semestre do ano que vem. A expectativa é de fechar 2022 com mais de 10 mil inscritos e converter ao menos R$ 50 milhões em investimentos em ativos musicais.

A plataforma coloca a tecnologia a serviço dos investidores em forma de análises detalhadas. “Interpretamos as informações com inteligência artificial e já oferecemos as soluções para alavancar a trajetória de cada um”, explica o empreendedor. Assim, em vez de olhar isoladamente os artistas, um investidor pode compará-los entre si para entender sua evolução e calcular seus riscos ao colocar recursos na carreira de um ou outro músico.

A strm funciona também como um empresário virtual: observa se o artista está se desenvolvendo em termos de voz, palco, composição, musicalidade. Ao interpretar esses dados, gera recomendações personalizadas com a melhor forma de obter receita, seja por shows, publicidade ou negócios digitais, além de recomendar possíveis parceiros de sucesso.

A ferramenta funcionará com um modelo freemium, com o produto inicialmente gratuito, mas com recursos exclusivos no plano premium mensal, a partir de R$ 29,90 para os músicos e R$ 599 para os investidores. Esses últimos poderão se cadastrar ainda em setembro e já terão acesso aos mais de um milhão de artistas monitorados em todo o mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).