Tembici capta R$ 420 milhões para aumentar frota de bikes elétricas

Aporte série C foi liderado pela Crescera Capital.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Tomás Martins e Maurício Villar, cofundadores da Tembici

Acessibilidade


A Tembici, empresa brasileira de compartilhamento de bicicletas, anunciou hoje que recebeu US$ 80 milhões (cerca de R$ 420 milhões) da gestora Crescera Capital. O aporte série C acontece um ano depois de receber os US$ 47 milhões de Valor Capital Group e Redpoint Ventures. A companhia, que oferece 16 mil bicicletas na América Latina, vai usar os recursos para expandir o número de bikes elétricas para 26 mil em 2022, aumentar sua atuação nacional e investir em tecnologia . “As primeiras rodadas permitiram a consolidação do produto. Agora, o foco é crescer”, diz Tomás Martins, cofundador da Tembici, ao lado de Maurício Villar.

Fundada em 2010, a empresa atua no Rio de Janeiro (RJ) , São Paulo (SP), Salvador (BA), Recife (PE) e Porto Alegre (RS), além de Santiago, no Chile, e Buenos Aires, na Argentina. A expectativa é chegar a Brasília na primeira quinzena de outubro, com 70 estações e 500 bikes no Distrito Federal. Em relação às novas tecnologias, a empresa quer melhorar a usabilidade do aplicativo, tornando o cadastro, retirada e devolução da bicicleta mais fácil para o cliente. Além disso, a startup quer aprimorar a logística das operações, analisando os dados de cada viagem e adaptar o tamanho e demanda das estações.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

No último ano, a startup colocou GPS na frota e passou a oferecer as e-bikes (elétricas). Após incluir as e-bikes em seu sistema, o número de viagens cresceu 66%, comparando janeiro com agosto de 2021. A empresa, que tem 1.000 e-bikes distribuídas entre Rio de Janeiro e São Paulo, quer adicionar mais 5.000 à sua frota em 2022.

Cerca de 15 milhões de viagens foram realizadas em 2020 com as bicicletas compartilhadas e a previsão é alcançar mais de 25 milhões de viagens em 2021. A empresa tem como principais patrocinadores o Itaú Unibanco e o iFood. No app Bike Itaú, os usuários receberão informações sobre a quantidade de CO2 economizados ao finalizarem a viagem, além do resumo de tempo e calorias gastas. Com o iFood Pedal, os entregadores de delivery podem assinar um plano semanal de R$ 9,90 e fazer duas retiradas de e-bikes por dia, totalizando uma jornada de oito horas diárias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: