É possível reflorestar a Amazônia utilizando NFTs?

A NFT Amazônia criou o NForest, plataforma de obras de artes virtuais que retratam árvores, animais, lendas, entre outros itens comuns à vida na floresta, e que se converterão em ações reais de contenção ao desmatamento.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

Uma das NFTs que serão leiloadas foi desenvolvida pelo artista Lito (Crédito: Reprodução)

Acessibilidade


O mercado de NFTs (tokens não-fungíveis) gerou, globalmente, nos primeiros seis meses de 2021, US$ 2,5 bilhões em transações. Música, arte e entretenimento ainda são os segmentos que mais movimentam ativos virtuais, no entanto, aponta uma categoria cada vez mais relevante: a dos NFTs orientados a pautas sociais e ambientais. Dentre elas, o desmatamento, já que, de acordo com o Instituto Imazon, mais de 1,2 mil quilômetros de área verdes desapareceram da floresta Amazônica somente no mês de setembro, pior índice em dez anos.

Aqui no Brasil, com o objetivo de contribuir para o reflorestamento da Amazônia por meio de um sistema que permita rastreabilidade, a NFMarket Agency, especializada em NFTs, criou o NFT Amazônia, uma unidade de negócios cujo primeiro projeto é o NForest, obras de arte que retratam árvores, animais, lendas, entre outros itens comuns à vida na Amazônia, e que serão criadas por diversos artistas.

LEIA TAMBÉM: Os 10 NFTs mais caros da história

No caso das árvores, ao serem adquiridas em forma de NFT, a partir de um lance financeiro dado por qualquer pessoa, automaticamente consolidam-se no plantio de uma árvore real. “Nesta floresta virtual que estamos disponibilizando, somada ao seu lastro proporcional a 1 hectare de reserva real, equivale a cerca de 300 árvores plantadas em 10 mil m²”, explica Bruno Riberti, sócio fundador e diretor executivo do NFT Amazônia.

“Na Floresta Virtual, cada árvore plantada fisicamente terá suas coordenadas de localização (via Google Maps) e será recriada virtualmente em um ambiente digital, onde será possível fazer um tour virtual guiado pela Curupira (personagem do folclore brasileiro protetora da floresta), sendo possível identificar quais espécies de árvores foram plantadas com suas respectivas fichas técnicas com a importância biológica e subprodutos extraídos de cada uma delas”, detalha Thiago Valadares, CEO da NFMarket Agency.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O trabalho de campo, de plantio da floresta, estará a cargo da equipe EcoViva Amazônia nas regiões do Rio Arapiuns, na Comunidade do Coroca, localizado no município de Santarém, no Estado do Pará, na Floresta Amazônia. A venda dos NFTs acontece na plataforma OpenSea.

Compartilhe esta publicação: