Plataforma de supermercado online Favo recebe aporte de R$ 141 milhões

O aporte foi liderado pelo fundo de capital de risco Tiger Global.

Redação
Compartilhe esta publicação:
d3sign/Getty Images
d3sign/Getty Images

A companhia tem centros de distribuição próprios, mas contrata os serviços de terceiros para fazer as entregas

Acessibilidade


A startup de vendas de supermercado por canais digitais Favo anunciou hoje (6) que recebeu um aporte de R$ 141 milhões liderado pelo fundo de capital de risco Tiger Global.

O aporte também envolveu os fundos Global Founders Capital, MSA Capital, Elevar Equity, Positive Ventures, FJ Labs, H2O, além de David Vélez, fundador e presidente do Nubank.

LEIA TAMBÉM: Startup Trybe levanta R$ 145 milhões em série B

Criada em 2019, a Favo opera na região metropolitana de São Paulo e em Lima, no Peru, um modelo de “comunidade de compras”, usando um website e apoio logístico para interligar consumidores a pequenos empreendedores, especialmente em regiões mais periféricas de grandes cidades.

A companhia tem centros de distribuição próprios, mas contrata os serviços de terceiros para fazer as entregas, que normalmente a casa do próprios empreendores cadastrados na plataforma, hoje cerca de 10 mil, que então se responsabilizam pelas entregas, em geral, num raio de até um quilômetro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo o ex-executivo financeiro peruano Alejandro Ponce, criador do negócio ao lado da brasileira Marina Proença, o aporte permitirá a expansão da Favo para outras capitais do Brasil e a entrada no México.

Devido ao baixo investimento necessário, nossos colaboradores ganham mais por hora trabalhada do entregadores de aplicativos de refeições ou de motoristas de aplicativos”, disse Ponce à Reuters.

O anúncio da Favo mostra como negócios de varejo baseados em canais digitais na América Latina vêm ganhando crescente atenção de investidores, entusiasmados com a rápida migração de negócios para o ambiente digital durante as medidas de isolamento social.

Esse mercado virou alvos de plataformas mais estabelecidas de comércio eletrônico, como Magazine Luiza, Mercado Livre e Americanas, que veem nesse tipo de negócio uma forma de tornar mais recorrente o uso de seus aplicativos por bases de milhões de usuários.

A Favo afirma ter atendido mais de 700 mil pedidos desde fevereiro do ano passado. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: