Motoristas da Amazon recebem US$ 60 milhões em gorjetas retidas, diz comissão

A gigante da tecnologia teria segurado pagamentos de seus funcionários.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Mais de 140.000 motoristas tiveram suas gorjetas retidas pela Amazon entre 2016 e 2019

Acessibilidade


Mais de 140.000 motoristas estão recebendo, ao todo, US$ 60 milhões em gorjetas que foram ilegalmente retidas pela Amazon entre 2016 e 2019, disse a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) hoje (2).

No início deste ano, a agência reguladora processou a gigante da tecnologia e sua subsidiária, a Amazon Logistics, alegando que a empresa não pagou totalmente as gorjetas que os motoristas do programa Amazon Flex haviam ganhado.

LEIA TAMBÉM: Facebook vai desativar sistema de reconhecimento facial

Os motoristas do Amazon Flex entregam produtos e alimentos encomendados por meio de programas como o Prime Now e o Amazon Fresh. A ação judicial alega que a empresa reteve as gorjetas dos motoristas por um período de dois anos e meio e interrompeu a prática após saber da investigação da FTC em 2019.

A Amazon concordou em fevereiro em resolver o caso e entregar todo o dinheiro retido, disse a FTC.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A agência disse que enviará 139.507 cheques e 1.621 pagamentos via PayPal para os motoristas do Amazon Flex. Os motoristas que tiveram mais de US$ 5 retidos pela Amazon receberão o valor total de suas gorjetas retidas. A quantia mais alta indo para um único motorista do Amazon Flex é de mais de US$ 28 mil, enquanto a quantia média é de US$ 422, revelou a FTC. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: