Twitter reduz visibilidade de posts estatais russos

Diariamente, o Twitter identificou mais de 45 mil posts que compartilham esse tipo de conteúdo. A partir de agora, eles serão vistos por menos gente e não irão aparecer em "top search".

Reuters
Compartilhe esta publicação:

O Twitter anunciou que vai reduzir a importância de posts e compartilhamentos ligados às mídias estatais russas em suas buscas

Acessibilidade


O Twitter vem reduzindo a visibilidade de tuítes com conteúdo ligados aos sites da mídia estatal russa, como RT e Sputnik, informou a empresa nesta segunda-feira.

Desde a invasão da Ucrânia na quinta-feira (24), a rede social registrou mais de 45 mil tuítes por dia de pessoas compartilhando links com esse tipo de conteúdo. A empresa afirmou que isso significa que a maioria do conteúdo da mídia afiliada do país vem de indivíduos que compartilham o material – e não das contas de mídia estatal em si.

As mídias do estado russo, que há muito tem sido uma presença controversa nas principais plataformas sociais, surgiu como um campo de batalha importante no impasse de Moscou com grandes empresas de tecnologia durante a crise na Ucrânia.

Na semana passada, a Rússia disse que restringiria parcialmente o Facebook por censurar sua mídia, uma medida que a Meta informou ter ocorrido depois de recusar o pedido das autoridades russas de interromper verificações de fatos independentes e em conteúdo de algumas organizações estatais de mídia.

O Twitter, que enfrentou lentidão punitiva de sites da Rússia, informou no sábado que seu site estava sendo restrito para usuários no país. O Google, da Alphabet, e a Meta, dona do Facebook, também proibiram a mídia estatal russa de ganhar dinheiro por meio de anúncios em suas plataformas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo anúncio do Twitter, o rótulo será aplicado automaticamente a qualquer tuíte com um URL de um site de mídia de estatais russas. Também reduzirá a visibilidade desses tuítes ao não recomendá-los aos usuários e retirá-los da função ‘Top Search’.

Compartilhe esta publicação: