Unicórnio mexicano, Kavak acelera investimentos no Brasil

Roger Laughlin, cofundador e CEO, fala sobre os R$ 550 milhões investidos no Rio de Janeiro e a estratégia de expansão da plataforma de seminovos.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

Roger Laughlin, cofundador e CEO da Kavak no Brasil (Crédito: Divulgação)

Acessibilidade


O unicórnio mexicano Kavak, startup de compra e venda de veículos seminovos e usados, anunciou ontem (31) investimento de R$ 550 milhões para ampliar suas operações no Rio de Janeiro. Esse é o segundo estado de operação da empresa, seis meses após ter chegado ao Brasil por São Paulo.

De acordo com Roger Laughlin, cofundador e CEO da Kavak no Brasil, o Rio de Janeiro é um marco fundamental na estratégia da empresa de ter o país como sua principal operação no mundo. Inaugurada no México em 2016, a Kavak já atua também na Argentina.

“O Rio de Janeiro é parte importante dos R$ 2.5 bilhões que estamos investindo no Brasil. Além de ser uma das principais vitrines do país, o estado tem uma frota de mais de 7 milhões de usados, e cada vez mais pessoas estão preferindo adquirir um carro seminovo ou usado de uma fonte segura”, explica Laughlin que, em entrevista à Forbes Brasil, destacou os planos de expansão da empresa no Brasil.

LEIA TAMBÉM: Plataforma de carros usados Kavak estreia no Brasil com investimento de R$ 2,5 bilhões

Forbes: Pode nos fazer um balanço desde a chegada da Kavak ao Brasil?
Roger Laughlin: Nossa plataforma surgiu com o objetivo de atender a um contexto onde 90% das transações aconteciam em canais informais, rodeados por fraude e insegurança. Por isso, compramos o carro seminovo ou usado, pagando para o vendedor e fazemos toda a manutenção e estudo documental do veículo para, então, vender o automóvel a outros clientes em nossa plataforma. Trouxemos esse modelo para o Brasil em julho de 2021, começando pela Região Metropolitana de São Paulo e expandindo para cidades do interior paulista, em Campinas e Sorocaba. Encerramos nosso primeiro ano de Brasil com mais de 21 lojas físicas funcionando em SP. A primeira loja física da Kavak no Rio de Janeiro inaugurada nesta segunda-feira, (31), faz parte do nosso plano de expansão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

F: Quais as diferenças e semelhanças entre o mercado mexicano e o brasileiro?
RL: O Brasil é o terceiro maior mercado de seminovos e usados do mundo, mas o setor é muito semelhante nos três países onde a Kavak opera, Brasil, México e Argentina. Os países possuem mercados baseados principalmente em negócios de pessoa física para pessoa física, com muita informalidade e risco de fraudes. No México, o mercado de venda de carros usados é estimado em US$ 60 bilhões. O da Argentina, em US$ 20 bilhões. O do Brasil, o maior da América Latina, em US$ 140 bilhões. Esses três países são responsáveis por cerca de 70% do mercado latino-americano de venda de carros usados.

Divulgação/Kavak
Divulgação/Kavak

Criada para simplificar o comércio de carros usados, a startup Kavak quer transformar o mercado brasileiro o seu principal foco de compra e venda (Crédito: Divulgação)

F: Como que o preço dos veículos impacta a compra de seminovos e usados?
RL: Os dois últimos anos mudaram toda a indústria de automóveis. A indústria de carros novos alimenta a de carros usados e a oxigena com novos modelos e melhorias – as duas indústrias são melhores juntas. Claro que o mercado de carros usados foi impulsionado em parte pela queda na produção de carros, já que muitos fabricantes de automóveis interromperam ou diminuíram a produção durante o período, com um aumento de demanda e preços menos acessíveis. Isso trouxe uma exposição maior para o nosso segmento, que ainda não teve problema de escassez de produtos e onde nosso modelo de negócios muda a vida do cliente. Mas não foi apenas isso: o cenário de crise e a pandemia trouxe uma mudança maior na necessidade dos consumidores: muitos precisaram vender seus carros ou trocar por modelos mais baratos.

LEIA TAMBÉM: Com valuation de US$ 4 bilhões, Kavak faz nova captação e avança no Brasil

F: De que maneira que o aporte de US$ 700 milhões, em setembro, vem contribuindo nessa expansão?
RL: A Kavak já recebeu cinco rodadas de investimentos. Em setembro de 2021, menos de um ano depois de nos tornamos o primeiro unicórnio mexicano, captamos esse aporte de US$ 700 milhões, na série E. Com isso, passamos a ocupar a posição de startup mais valiosa da América Latina, com valoração de US$ 8.7 bilhões. E esses recursos estão sendo aplicados em nossas estratégias de expansão, tanto a do Rio de Janeiro, como movimentos futuros.

F: O que o mercado do Rio representa para vocês e qual o próximo passo da expansão?
RL: O Rio de Janeiro é um marco fundamental na estratégia da empresa de ter o país como sua principal operação no mundo. Apenas seis meses após chegarmos ao Brasil, via São Paulo, estamos levando para a Cidade Maravilhosa parte dos R$ 2.5 bilhões investidos no Brasil. Além de ser uma das principais vitrines do país, a cidade tem uma frota de mais de 7 milhões de usados, e cada vez mais pessoas estão preferindo adquirir um carro seminovo ou usado de uma fonte segura. Nesse primeiro momento, vamos investir R$ 550 milhões na expansão para o Rio de Janeiro, priorizando a compra de seminovos e usados em nosso novo endereço, para oferecermos a quem mora no estado um inventário robusto, com variedade e qualidade. Queremos construir um inventário de 4 mil carros até o fim de 2022, para atingirmos uma outra meta importante: 11 novas lojas físicas no estado do Rio de Janeiro até o fim do ano.

Compartilhe esta publicação: