Mulheres streamers revelam o poder feminino nos games

Atualmente, elas representam 45% da audiência gamer e já são 35% da base da plataforma Twitch.

Peter Suciu
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

“Dentro dos jogos em si, apenas 5% têm protagonistas femininas. E dentro das empresas que criam os jogos, apenas cerca de 24% da força de trabalho são mulheres”

Acessibilidade


O equívoco de longa data sobre os gamers – de que eles são apenas adolescentes – está mudando. Onde o progresso ainda está para ser feito é no número de influenciadoras. Atualmente, cerca de 45% daqueles que jogam são mulheres, mas apenas 5% dos influenciadores pertencem a esse público.

Isso é notável, pois as mulheres representam 35% da base de streamers na Twitch. No entanto, as influenciadoras não estão lucrando como seus colegas homens. De acordo com dados da MoreYellow, agência de talentos com sede em Los Angeles, que gerencia influenciadores, apenas 3% dos mais bem pagos na Twitch são mulheres. Além disso, dos principais criadores da Twitch, YouTube e Facebook, apenas 5% são mulheres. “Há uma grande disparidade de ganhos entre influenciadores masculinos e femininos”, explicou Jordan Mauriello, CEO da MoreYellow, por e-mail.

“O que vemos é que a disparidade começa na indústria de jogos como um todo”, acrescentou Mauriello. “Dentro dos jogos em si, apenas 5% têm protagonistas femininas. E dentro das empresas que criam os jogos, apenas cerca de 24% da força de trabalho são mulheres, 6% são executivas. As mulheres representam mais de 45% dos jogadores no mundo.”

A empresa agora trabalha com várias influenciadoras populares de jogos e as ajudou a se conectar com as principais marcas, como os estúdios Nvidia, GFN e Amazon. Mauriello disse que o objetivo dessas iniciativas não é sugerir que os influenciadores femininos são “mais impactantes” do que os influenciadores masculinos, mas observar que a diferença de disparidade é grande demais para o papel que as mulheres desempenham na indústria.

LEIA TAMBÉM: O game brasileiro que recebeu investimento de banco e explodiu no TikTok

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Ambos os gêneros podem ser muito impactantes para diferentes tipos de programas”, continuou Mauriello. “Na maioria dos casos, as mulheres têm um apelo de cruzamento muito melhor entre os gêneros. As mulheres podem promover produtos para mulheres em seus canais, mas também para homens. Considerando que, na maioria das vezes, os influenciadores homens só podem promover produtos masculinos. Como os homens têm uma porcentagem menor de espectadores do sexo feminino – geralmente cerca de 15% – sua mensagem provavelmente não seria autêntica.”

Além disso, a MoreYellow descobriu que as mulheres têm uma porcentagem maior de visualizações em seus canais em várias plataformas. “Se eles têm uma audiência na Twitch ou Youtube, mesmo que seja menor, normalmente eles têm uma porcentagem muito maior de visualizações cruzadas em seu Instagram, TikTok e Twitter”, disse Mauriello. “O que os torna mais fortes, em muitos casos, para campanhas multiplataforma.”

“O público feminino de influenciadores mostrou ter um interesse maior em música, moda e marcas de luxo”, continuou Maureillo. “Também costuma ser muito fiel a mensagens autênticas em seus vários canais. E, por sua vez, se sai muito bem ao construir um relacionamento contínuo como um verdadeiro embaixador.”

Compartilhe esta publicação: