Um ano depois, como a Bored Ape tornou-se um fenômeno em NFTS

Coleção da Yuga Labs, avaliada em mais de R$ 20 bi, já atraiu famosos como Neymar e Madonna .

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Reprodução

A Bored Ape tornou-se popular com a adesão de famosos e celebridades

Acessibilidade


Há um ano, de forma despretensiosa, surgia a Bored Ape Yacht Club (BAYC), uma coleção de NFTs que atraiu muito mais do que investidores, mas pessoas famosas e dispostas a fazer parte de um clube de exclusividades. Como uma coleção com macacos irreverentes poderia valer tanto? A Bored Ape Yacht Club (BAYC), que reúne alguns dos NFTs mais famosos vendidos recentemente está rendendo, e muito.

Em março, a Yuga Labs, criadora da coleção, teve seu valor de mercado avaliado em mais de R$ 20 bilhões. Isso ocorreu após sua primeira captação, estimada em R$ 2,1 bilhões. Dentre os nomes envolvidos na Series estão tradicionais players de criptomoedas e games como Animoca Brands, Coinbase, FTX e MoonPay.

Até o início de abril, a BAYC havia gerado mais de R$ 5 bilhões de um total de 10 mil NFTs vendidos sendo que seu grande êxito está nas pessoas que adquirem seus tokens. Dentre celebridades que desembolsaram quantias expressivas estão Post Malone, DJ Khaled, além de atletas e empresários. Entre eles, o jogador brasileiro Neymar que, em janeiro deste ano, desembolsou pouco mais de R$ 6 milhões por duas peças da coleção.

LEIA TAMBÉM: Afinal, o que é NFT e como criar e vender ativos virtuais?

Estima-se que os ganhos de Neymar até agora, com a valorização do ativo, foram de mais de R$ 1 milhão. A BAYC não foi a primeira, mas tem sido uma das mais emblemáticas coleções de NFTs atualmente pela repercussão que gera. Com alguma frequência, também é alvo de críticas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Criação de um metaverso

De acordo com a Yuga Labs, parte considerável dessa primeira rodada de investimentos será destinadas à construção de seu metaverso. Em tradução literal, o tuite da empresa afirma que o objetivo é construir um “império de mídia em torno de NFTs”. O trailer divulgado mostra o Otherside, metaverso que também terá sua moeda própria. Na quinta-feira, passada, a ApeCoin, criptomoeda da empresa, fez sua estreia com oscilações consideráveis em seu valor.

“O Bored Ape hoje é nossa grande referência de um trabalho bem feito de gestão de comunidade através do que a Web3 se propõe a ser. É um gostinho do que queremos alcançar. O resultado pode ilustrar um pouco do que isso significa: no dia 1 o Bored Ape já não era um mero JPEG, como alguns o entendem. Era uma experiência completa, somente para membros, que vai de festas a acesso a celebridades da cultura pop apoiado por um batalhão muito competente de pessoas da indústria de tecnologia. Outra forma, mais simples talvez, de entender o quão emblemático eles são, é observar o impacto financeiro que eles geraram”, diz Bernardo Mendes, Chief Gaming Officer da Druid, hub especializado em Web3.

Compartilhe esta publicação: