7 tendências de tecnologia para o segundo semestre de 2022

Estudo TMT Predictions, da Deloitte, aponta que mais de 320 milhões de dispositivos portáteis de saúde serão produzidos este ano

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

A Deloitte prevê que 2022 verá uma grande discussão sobre a regulação da IA de forma mais sistemática

Acessibilidade


O segundo semestre de 2022 reserva um contexto movimentado para o mercado de tecnologia em todo o mundo. O estudo “Previsões em Tecnologia, Mídia e Telecomunicação – TMT Predictions”, da Deloitte, aponta, em sua 20ª edição que, ao longo do segundo semestre deste ano, haverá aumento na demanda por chips, mas que a crise de oferta seguirá; que a implantação do Wi-Fi 6 seguirá superando os dispositivos 5G, uma forte demanda em tecnologia vestível wearables na saúde e muita agitação no mercado de streamings.

Leia mais: Falta de chips não tem prazo para acabar, diz diretora da Intel

A pesquisa também aponta que o metaverso deve chamar cada vez mais a atenção das empresas este ano. “No Brasil, as tendências apontadas pelo nosso estudo global já têm sido vistas por aqui e estarão cada vez mais presentes nos próximos meses, até o final do ano e início do próximo. Outros assuntos, como os altos investimentos que as organizações estão fazendo no metaverso, o mercado de streaming, o avanço do 5G e regulação da inteligência artificial ganham cada vez mais importância”, destaca Marcia Ogawa, sócia-líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da Deloitte.

Demanda por chips

O mundo está em busca de produtos que demandam cada vez mais chips, mas haverá atrasos ao longo de 2022 até que a oferta atenda à crescente demanda. A Deloitte prevê que muitos tipos de chips ainda estarão em falta em 2022, mas será menos grave do que na maior parte de 2021 e não afetará todos os chips. A duração da escassez se resume a um aumento significativo na demanda, impulsionado pela transformação digital e acelerado pela pandemia. Não é apenas a proliferação de dispositivos de consumo, é o fato de que muitos produtos mecânicos na indústria estão se tornando cada vez mais digitais e muitos setores verticais estão se tornando mais dependentes da digitalização. De acordo com o estudo, as empresas de capital de risco globalmente investirão mais de US$ 6 bilhões em startups de semicondutores em 2022.

Wi-Fi 6 superando os dispositivos 5G

Nos últimos dois anos, muitos países adotaram o 5G, mas os dispositivos de Wi-Fi 6 agora estão superando os dispositivos 5G por uma grande margem e provavelmente continuarão a fazê-lo nos próximos anos. O estudo prevê que mais dispositivos Wi-Fi 6 serão lançados em 2022 do que dispositivos 5G, com pelo menos 2,5 bilhões de dispositivos Wi-Fi 6 contra aproximadamente 1,5 bilhão de dispositivos 5G. A razão para isso é que o Wi-Fi 6, tanto quanto o 5G, tem um papel significativo a desempenhar no futuro da conectividade sem fio – não apenas para os consumidores, mas também para as empresas. Smartphones, tablets e PCs são alguns dos dispositivos equipados com Wi-Fi 6 mais populares, mas o Wi-Fi 6 também é usado em muitos outros, incluindo câmeras sem fio, dispositivos domésticos inteligentes, consoles de jogos, wearables e fones de ouvido AR/VR.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

IA e gerenciamento de dados confidenciais

Em 2022, segundo o report, também haverá uma grande discussão sobre a regulação da IA (Inteligência Artificial) de forma mais sistemática, com várias propostas sendo feitas – embora a promulgação delas em regulamentações reais provavelmente não aconteça até 2023 ou além. Algumas jurisdições podem até tentar banir inteiramente subcampos de IA, como reconhecimento facial em espaços públicos, pontuação social e técnicas subliminares. Impulsionadas pela crescente urgência de proteger os dados usados em aplicativos de IA, tecnologias emergentes de aprimoramento de privacidade e outras.

Leia mais: Gestão voltada ao ESG não se sustenta sem dados, diz CEO da SAP no Brasil

Mulheres ganham espaço em TMT, mas seguem enfrentando desafios

Ainda segundo o TMT, as empresas de tecnologia devem renovar seu compromisso com o avanço da diversidade de gênero na tecnologia à medida que a pandemia recua. “A indústria de tecnologia provavelmente continuará a diminuir a diferença de gênero ao longo de 2022. A Deloitte prevê que as grandes empresas globais de tecnologia alcançarão quase 33% de representação geral feminina em suas forças de trabalho em 2022, um aumento de 2 pontos em relação a 2019. A proporção de mulheres em funções técnicas também aumentará, embora tenda a ficar atrás da proporção geral de mulheres em cerca de 8 pontos.”

As guerras de streaming se tornam globais

À medida que os principais provedores de streaming se expandem globalmente, enquanto as empresas nacionais de mídia criam seus próprios serviços de streaming domésticos, a concorrência ampliada está criando uma escolha abundante ao consumidor – e a rotatividade está acelerando como resultado. “A Deloitte prevê que em 2022 pelo menos 150 milhões de assinaturas pagas de serviços de streaming de vídeo sob demanda serão canceladas em todo o mundo, com taxas de churn de até 30% por mercado”.

Forte demanda em tecnologia vestível na área da saúde

Avanços em sensores e IA estão ajudando milhões de pessoas a detectar e gerenciar condições crônicas de saúde e mitigar doenças graves, e essas tecnologias agora são pequenas o suficiente para serem usadas no pulso. O estudo prevê que 320 milhões de dispositivos portáteis de saúde e bem-estar serão produzidos em todo o mundo em 2022 e, até 2024, esse número poderá chegar a 440 milhões de unidades. Da mesma forma, há um forte crescimento em aplicativos de saúde mental, e os gastos globais em aplicativos móveis de saúde mental chegarão perto de US$ 500 milhões em 2022. Esse crescimento anual é alimentado pelo fato de que quase 800 milhões de pessoas em todo o mundo, ou 11% da população, convivem com uma condição de saúde mental. Além disso, a pandemia exacerbou as preocupações com a saúde mental e desencadeou declínios no bem-estar, com um aumento dramático na prevalência de problemas como depressão, ansiedade e sintomas de estresse pós-traumático.

Consoles de games completam 50 anos com receita recorde

O ecossistema de consoles de jogos comemora seu 50º aniversário em 2022 em forte saúde, com receita recorde, uma lista completa de dispositivos de última geração e uma base sólida para um maior crescimento. O mercado de consoles gerará US$ 81 bilhões em 2022, um aumento de 10% em relação a 2021. A receita por jogador de console, dos quais haverá 900 milhões até o final do ano, deve atingir uma média de US$ 92 por pessoa – substancialmente mais do que os US$ 23 projetados por jogador de PC e US$ 50 por jogador de celular. Além de 2022, espera-se que as vendas de software de console continuem crescendo, chegando perto de US$ 70 bilhões até 2025. Durante esse período, as compras de jogos digitais, incluindo downloads, assinaturas, passes de jogos e pagamentos no aplicativo devem aumentar em proporção vendas de 65% em 2022 para 84% em 2025.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: