Montadora chinesa de veículos elétricos Nio planeja desenvolver bateria própria em 2024

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Zoey Zhang

XANGAI (Reuters) – A fabricante chinesa de carros elétricos Nio disse que começará a produzir em 2024 baterias de alta tensão internamente desenvolvidas, como parte de um esforço para melhorar resultados.

A Nio planeja iniciar a produção de uma bateria de 800 volts no segundo semestre de 2024, disse o presidente do conselho de administração da empresa, William Li, a analistas.

A maioria dos veículos elétricos opera com baterias de 400 volts, enquanto os elétricos Taycan, da Porsche, são alimentados por baterias de íons de lítio de 800 volts, que recarregam mais rapidamente.

Li disse que a Nio – que possui mais de 400 funcionários trabalhando em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de baterias – também pretende usar uma combinação de baterias fabricadas internamente e de fontes externas no longo prazo, um plano semelhante ao da Tesla.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Nio planeja usar baterias produzidas internamente para sua nova marca de modelos acessíveis, que deve estar pronta para venda no segundo semestre de 2024, segundo o executivo. Esses novos modelos devem custar em torno de 200 mil a 300 mil iuans (30 mil a 45 mil dólares), adicionou ele.

A Nio afirmou que os custos das baterias aumentaram no segundo trimestre após a renovação em abril de um acordo com sua única fornecedora, a CATL.

A Nio disse na quinta-feira que o prejuízo líquido caiu para 1,8 bilhão de iuans no primeiro trimestre, ante 4,9 bilhões no mesmo período do ano anterior.

A Nio, porém, projetou entregas entre 23 mil e 25 mil veículos no trimestre encerrado em 30 de junho, abaixo das 25.768 unidades montadas no primeiro trimestre, o que reflete uma queda geral na fabricação das principais montadoras devido ao lockdown de dois meses em Xangai por causa da Covid-19.

(Por Zhang Yan e Brenda Goh)

Compartilhe esta publicação: