Startup quer acabar com brigas de casal por meio da gamificação

Robin Havre, um desenvolvedor de aplicativos por profissão, criou o Choreful, aplicativo que transformava tarefas em uma competição

Michaella Huck
Compartilhe esta publicação:
Divulgação/Choreful.App
Divulgação/Choreful.App

Por meio de competições amigáveis, o Choreful se propõe a transformar as tensões da rotina em algo divertido

Acessibilidade


Choreful é um app com uma história de origem que faz sentido para quem já se apaixonou por alguém que nunca lavou um prato ou fez uma tarefa doméstica. De fato, Robin Havre compartilha a proveniência de seu aplicativo como se estivesse atendendo milhares e milhares de mulheres no TikTok que desabafam em vídeos curtos sobre a necessidade exaustiva de explicar uma divisão justa de trabalho para seus parceiros domésticos. Começa com uma história pessoal, como muitas startups fazem.

Havre, 36, não cozinhava o jantar com frequência na casa em Oslo que dividia com sua namorada, Eva Bernsten. Então, em uma noite do ano passado, ele decidiu, Havre esperava que Bernsten limpasse a mesa. Em vez disso, depois de um longo dia de trabalho e jantar, Bernsten pegou um livro e sentou-se no sofá para relaxar. Isso gerou uma discussão e naquela noite Havre, um desenvolvedor de aplicativos por profissão, sentou-se na frente de seu computador e criou um código para construir sua primeira versão do Choreful, um aplicativo que transformava tarefas em uma competição.

“Era uma brincadeira bem-humorada, um pouco passiva-agressiva, para descobrir quem fazia mais tarefas e foi assim que tudo começou”, disse Havre à Forbes.

Havre imaginou que não iria muito além, mas quando começou a mostrar aos amigos, “ou eles acharam que era completamente ridículo ou queriam uma cópia”, diz ele. Havre continuou a fazer ajustes enquanto Choreful ganhava força entre seus amigos e, em dezembro de 2021, ele compartilhou seu novo aplicativo no TikTok, a mesma plataforma de mídia social onde, apenas cinco meses antes, a lista de compras detalhada de uma mulher para o marido se tornou viral. Na manhã seguinte, diz Havre, ele tinha cerca de 500 novos assinantes em sua lista de e-mails, todos aguardando ansiosamente o lançamento oficial do Choreful no mercado de aplicativos na Noruega. Então Havre empurrou Choreful para o topo de sua lista de tarefas, tirou uma folga de seu trabalho diário para transformar esse lançamento em realidade.

Certamente, há muitos dados para apoiar um lugar para o Choreful com foco em ajudar a manter os casais harmoniosos. As mulheres nos EUA gastam duas horas a mais por dia limpando, cozinhando, cuidando das crianças e fazendo outros trabalhos não remunerados do que os homens, de acordo com um relatório de 2020 da Oxfam e do Institute for Women’s Policy Research.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Isso também se reflete nos dados. As tarefas domésticas são agora uma parte importante de um relacionamento saudável, de acordo com um estudo de 2018 realizado pelo Conselho de Famílias Contemporâneas. Casais que dividem as tarefas relatam os mais altos níveis de satisfação marcial e sexual. Além disso, casais igualitários fazem 0,5 vezes mais sexo por mês do que casais com uma divisão desigual do trabalho, de acordo com um estudo de 2016 publicado no Journal of Marriage and Family.

Para Havre, trata-se do direito à justiça no lar, especialmente quando ambas as partes são adultos que trabalham voltando para casa após um longo dia de trabalho.

“Há dois elementos para isso, pelo menos na minha experiência”, diz ele. “Uma é que motiva os casais a dividir a carga de trabalho de forma mais igualitária. E a outra coisa é que isso faz com que seu parceiro veja e reconheça o trabalho que você faz.”

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: