5 tendências para podcasts no Brasil, segundo o Spotify

Levantamento feito pela equipe editorial da plataforma apontou as principais novidades em relação a criação de conteúdo de áudio em 2023

Getty Images/Mulher ouvindo podcast com fones de ouvido.
Getty Images/Mulher ouvindo podcast com fones de ouvido.

Os brasileiros escutam uma média de 7,5 horas de podcasts por semana e a terça-feira é o dia de maior audiência.

Acessibilidade

O ecossistema de podcasts não para de crescer no Brasil. De janeiro a setembro de 2023, houve um aumento de 36% na produção deste tipo de conteúdo; e como não há produção sem demanda, é claro que o consumo  também subiu, cerca de 28% em comparação ao mesmo período de 2022, de acordo com dados do Spotify Brasil. 

Guilherme Alpendre, diretor-executivo da Rádio Novelo, conta que “em 2023, com o lançamento do nosso original Rádio Novelo Apresenta, tivemos o ano com maior audiência desde nossa fundação. Foram quase 5 milhões de downloads dos mais de 40 episódios publicados neste ano”.

Leia também:

Além disso, os assuntos variam cada vez mais na plataforma, com um crescimento significativo para a audiência do gênero “Saúde e Fitness”, com aproximadamente 126%. Outro aspecto interessante é o consumo da categoria “Educação” pela GenZ, com um aumento de 80% em relação ao ano passado.

Confira as 5 principais tendências de podcasts em 2023:

  1. Videocast“: adaptação do modelo tradicional de podcasts para a transmissão também em formato de vídeo; este modelo é amplamente compartilhado nas redes sociais, o que influencia significativamente na audiência e alcance das produções.
  2. Abordagem intimista: neste caso, a conexão entre o locutor e o ouvinte é o principal. O compartilhamento de histórias pessoais dos apresentadores e convidados, além de conselhos e “instruções”, transformam o podcast em um momento de autoconhecimento e reflexão.
  3. Interatividade: o uso de “caixa de perguntas” e “enquetes”, ferramentas já utilizadas por outras plataformas, como Instagram, Facebook, X (Twitter), entre outras, é uma possibilidade cada vez mais usada para conquistar o engajamento do público com os criadores.
  4. Documentários em áudio: assim como programas de televisão e streaming que batem recordes de audiência com produções baseadas em fatos reais, a “podosfera” descobriu que também pode se apropriar de histórias populares no imaginário cultural para aumentar seu público consumidor.
  5. Histórias autênticas: podcasts que exploram histórias genuínas de indivíduos comuns costumam estar no topo das principais paradas de episódios mais ouvidos. A curiosidade de encontrar relatos cotidianos, sejam eles sérios, engraçados ou emocionantes, é um motor e tanto de audiência.

Veja alguns exemplos de programas que se encaixam nas tendências citadas acima:

  • Canva Images

    Entre os videocasts mais populares do Brasil, com milhões de visualizações mensais, estão o “PodPah” e o “PodDelas”.

  • Canva Images

    Produções como “Bom Dia, Obvious” e “Mano a Mano” são exemplos de podcasts com abordagens intimistas.

  • Canva Images

    Cada vez mais plataformas apostam na interatividade, como é o caso do próprio Spotify, mas também do YouTube Music, Apple Podcasts e canais de publicação independentes.

    “Todos os novos formatos de interação são bem-vindos porque nos aproximam do nosso público, nos conectam com a audiência e abrem um canal para que a gente escute o ouvinte e consiga sempre melhorar o conteúdo entregue”, conta Alpendre.

  • Canva Images

    Os “audiodocumentários” são produções extensas e normalmente realizadas por jornalistas e profissionais da comunicação, como é o caso de “Praia dos Ossos” e “A Mulher da Casa Abandonada”.

  • Anúncio publicitário
  • Canva Images

    Ouvir histórias reais de pessoas comuns é algo que a sociedade está acostumada há décadas, mas com programas como “Não Inviabilize” e “Rádio Novelo Apresenta”, essa tradição se transformou em um hábito para os ouvintes.

Canva Images

Entre os videocasts mais populares do Brasil, com milhões de visualizações mensais, estão o “PodPah” e o “PodDelas”.